Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Pré-olímpico na forja

23 de Janeiro, 2015

Pré-olímpico na forja

Fotografia: Jornal dos Desportos

O dirigente avançou essa informação à imprensa, no final de uma reunião orientada pelo ministro dos Desportos, Gonçalves Muandumba, na qual foram abordadas as medidas de contenção financeira das federações desportivas, face ao actual período económico do país.
Segundo o responsável, as medidas de contenção financeira não colocam em perigo a realização do torneio pré-olímpico e reconheceu que a medida apesar de ser difícil é necessária. Disse estar de acordo com a medida excepcional, embora acredite que a crise é temporária.


Diferendo
COA responsabiliza 
Teresa Quarta


O Comité Olímpico Angolano (COA) vai intentar esforços em todas as instâncias, judiciais ou não, para se ver ressarcido dos prejuízos financeiros e à sua imagem causados pelos processos judiciais investidos conta si e seus membros por Teresa Quarta, antiga presidente da Associação Angolana Mulher e Desporto (Amud). A informação foi avançada ontem, por Mário Rosa, vice-presidente do COA,  em conferência de imprensa.

"Agora é a nossa vez de responder. Esperamos este tempo todo para esperar pelo desfecho destes processos, agora que temos a resposta, até do tribunal arbitral, queremos que esta senhora seja responsabilizada e assuma os prejuízos financeiros e à imagem do COA e seus membros", disse.
O  litígio com a antiga membro da Comissão Executiva do COA começou em finais de 2012 com o final do anterior mandato e os prazos de renovação de mandatos nas associações desportivas.

Teresa Quarta, sem orientação da mesa da assembleia-geral,  organizou um processo eleitoral em que foi reeleita para um segundo mandato, mas o COA considerou fraudulento o processo. Noutra eleição organizada sob orientação da mesa da assembleia-geral da Amud, Odeth Tavares acabou por ser eleita presidente de direcção.

Inconformada, Teresa Quarta processou o COA, seus membros em cinco processos em várias instâncias judiciais angolanas, mas não teve sucesso. Avançou para o tribunal arbitral do Desporto, com sede em Lousane, Suiça, mas também a sua causa não procedeu. Nestes processos todos, para a sua defesa o COA alega ter gasto acima de usd 100 mil.

Ao todo foram cinco processos judiciais no país, um ainda decorre e outro em Lousane.  O Jornal dos Desportos tentou ouvir Teresa Quarta mas, foi mal sucedido.
Silva Cacuti