Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Precariedade de infra-estruturas ensombra nova época desportiva

Silva Cacuti - 06 de Outubro, 2013

Infra-estruturas com dignidade para a prática do atletismo escasseiam no país depois de terem sido construídos estádios para o Campeonato Africano de futebol

Fotografia: Jornal dos Desportos

A época desportiva 2013/ 2014 do atletismo angolano, aberta a 17 de Setembro com a disputa do Grande Prémio Cidade do Cuito, pode estar comprometida pela precariedade das infra-estruturas para a prática da modalidade no país.

Carlos Rosa, presidente da Federação Angolana de Atletismo (FAA) admitiu esta realidade ontem, durante o Grande Prémio Emaxicom, disputado em Luanda, mas considerou ser necessário optimismo na abordagem da questão, visto haver consciência da situação por parte das estruturas competentes.

“Temos de pensar positivo. Há promessas. Julgo que hoje, a nível do Ministério da Juventude e Desportos já há uma visão estratégica do que tem de ser o atletismo no país, mas, logicamente, estamos com dificuldades em termos de infra-estruturas. Por exemplo, em Luanda, para além dos Coqueiros, não temos outro lugar com dignidade para a prática da modalidade”, admitiu.

Carlos Rosa apontou cenários e alternativas no país, que podem servir para o desenvolvimento da modalidade a médio e longo prazos. “Sabemos que o estádio mártires da Canhala, na Caála, vai ser inaugurado e tem pista e pode ser um pólo. Cabinda também tem pista, espero que haja apetrechamento dos materiais e equipamentos necessários, para que a modalidade possa ser relançada nestes pólos. Há promessas de que o estádio da Tundavala, no Lubango vá ter a sua pista. Estamos a trabalhar junto do Comité Olímpico Angolano para que se melhorem as condições no Olimpáfrica”, garantiu.


Em estrada
Prova marca abertura
da época no Huambo


Um total de 45 fundistas participou ontem numa prova de atletismo, na cidade do Huambo, que marcou a abertura da época desportiva (2013/2014) da associação provincial.

Nos cinco mil metros venceu o fundista Guerra Cassinda, seguido pelos corredores Firmino António e Paulo Juda, que ocuparam os lugares imediatos (2º e 3º).

Na classe para adaptados, o atleta Constantino Cambule (T13) foi mais forte que a concorrência, relegando para a 2ª e a 3ª posições Bernardo Lopes e Afonso Caneco.

Em femininos, a prova foi ganha por Cecília Namundo, seguida por Anita Ngueve. Nos três mil metros feminino, Arleth da Silveira conquistou o primeiro lugar da prova, enquanto Doriana de Jesus e Rodé Fernando ocuparam os lugares imediatos no pódio (2º e 3º). Clemente Buta Máquina, que correu a título individual, ficou com a primeira posição.

A prova dos mil metros em feminino foi ganha pelas atletas Anita da Conceição, Rosa de Oliveira e Flora Acácio (1ª, 2ª e 3ª). Em declarações à Angop, o director técnico da associação provincial de atletismo no Huambo, Pedro Luciano, disse que a organização da prova visou, além de abrir a época desportiva, preparar os atletas para a corrida de fim de ano, denominada São Silvestre, a decorrer dia 31 de Dezembro, em Luanda.