Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presentes desagradados com postura de dirigentes

Helder Jeremias - 20 de Fevereiro, 2017

Matias Castro Da Silva, coadjuvado pelo então vice-presidente para a área administrativa, Gonçalves Moco

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os presentes mostraram o seu desagrado pelo facto de Matias Castro da Silva e Gonçalves Moco "terem abandonado compulsivamente a reunião magna" pela alegada situação, numa altura em que, segundo fez saber Caetano de Sousa, os membros das associações provinciais estão desprovidos de legitimidade por não terem realizado os processos eleitorais tal como estabelece a Lei dos Desportos.

Caetano de Sousa esclareceu ainda que a assembleia não tinha como objectivo extinguir a direcção de Matias Castro da Silva, uma vez que está terminou as suas funções  com a criação da comissão eleitoral, ou seja, a criação da comissão de gestão e a extinção da comissão eleitoral ora criada configuravam o principal propósito do conclave.

Por outro lado, o representante do Ministério da Juventude e Desportos recordou que no encontro do dia 22 de Dezembro de 2016 entre membros da mesa da Assembleia  Geral da ex-direcção e altos funcionários do ministério de Tutela, chefiados pelo titular da pasta, Albino da Conceição e o director da Direcção Nacional de Políticas do Desporto, António de Almeida Gomes, ficou decidido que aquele "órgão de soberania estava responsabilizado em garantir o transporte dos associados, facto que ficou inviabilizado devido a ausência, no país, dos dois chefes da hierarquia ministerial".

TÉNIS
Comissão Administrativa
toma rédeas dos courts


A nomeação de Sebastião José Araújo, presidente do Clube de Ténis de Luanda, Genivaldo Dias, agente desportivo, Ana Balbina Martins, antiga atleta, Eliseu Maria, ex jogador da Selecção Nacional, e Baltazar Roque, promotor do ténis em Benguela para integrarem a comissão administrativa da modalidade foi a principal deliberação da Assembleia-geral extraordinária do órgão reitor da modalidade, realizada sábado último, nas instalações da Galeria dos Desportos, localizadas no complexo da Cidadela Desportiva.

Dirigida pelo presidente da Mesa da Assembleia-Geral da direcção cessante, doutor Caetano  Pedro de Sousa, a reunião magna foi marcada pela ausência dos representantes das distintas associações provinciais, com excepção da capital do país, em virtude da indisponibilidades de verbas para deslocação das respectivas cidades até Luanda, assim como a estadia.

Após a escolha das cinco personalidades conhecedoras da modalidade dos "courts" e das raquetes, os membros da comissão administrativa aguardam pela aprovação da acta da assembleia por parte do Ministério da Juventude e Desporto para que possam realizar a primeira reunião, na qual serão distribuídas as função que cada um dos integrantes deverá desempenhar durante seis meses que antecedem a eleição da nova direcção, de acordo com as deliberação do evento.

O Jornal dos Desportos apurou que o presidente da extinta direcção, Matias Castro Da Silva, coadjuvado pelo então vice-presidente para a área administrativa, Gonçalves Moco, alegaram a inexistência de condições para o prosseguimento do conclave, tendo em conta que apenas Luanda estava representada no acto que formalizou a extinção da recém-criada comissão eleitoral para os corpos gestores da instituição reitora da modalidade para o quadriénio 2016/2020.

Perante os exposto por Matias Castro da Silva, o presidente da Mesa da Assembleia, Caetano de Sousa, na qualidade de líder do "presidium" remeteu a questão aos dignos presentes, tendo se procedido à uma votação sobre o parecer, tendo os presente sido unânimes quanto a premente necessidade de dar celeridade ao processo que visa a eleição de uma nova direcção dentro de seis meses, dando sequência ao escrutínio saldado em 11 votos a favor, um contra e nove abstenções.