Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente da AMUD reconhece melhorias

08 de Março, 2018

No seu currculo, constam trs presenas em jogos Olmpicos, seis participaes em mundiais e igual nmero em campeonatos africanos.

Fotografia: M.Machangongo | edies novembro

A antiga capitã da selecção nacional sénior feminino de andebol, Maria Odete Tavares, aplaudiu, terça-feira, em Luanda, o trabalho feito no desporto feminino, mas apelou ao maior rigor na base para um sucesso no futuro.
Em declarações à Angop, a propósito do Dia Internaciona da Mulher, Odete Tavares afirmou que muitas foram as mulheres que no passado serviram a nação nas mais distintas modalidades, para elevar o nome de Angola para o mundo e estas devem ser chamadas nos dias de hoje para que possam passar o seu  testemunho da melhor maneira aos mais jovens.
“No passado muitas mulheres que praticaram o desporto acabaram por sacrificar as suas famílias e a formação académica em alguns casos para se dedicar a uma causa. Os sucessos foram vários, muitas vezes sem as condições exigidas, mas deram o melhor de si”, frisou.
Para si, a aposta deve agora recair para os escalões de formações, onde deve existir um rigor da parte de quem treina, para que o futuro seja coroado de êxito, sendo um trabalho que deve o ser feito por todos os clubes.Hoje nas vestes de Deputada a Assembleia Nacional pela bancada parlamentar do MPLA, Odete aponta os caminhos para que o desporto no feminino não desapareça em Angola.
“ Devemos todos apoiar o desporto no geral, mas no feminino é algo especial porque as famílias jogam um grande papel e estas devem ser as primeiras a ajudarem as suas crianças em particular para que pratiquem desporto”, disse.
Odete Tavares foi capitã da selecção nacional de andebol e vai no segundo mandato à frente da Associação Angolana a Mulher e o Desporto (AMUD), que tem na direcção duas mulheres.
Nascida a 18 de Agosto de 1976, iniciou a carreira desportiva no Nacional de Benguela em 1987. Estreou-se na selecção nacional júnior em 1994, por indicação do técnico Norberto Baptista, e chegou ao escalão sénior em 1997 pela mão de Beto Ferreira.
Foi guarda-redes do Petro de Luanda, 1º de Agosto e do Atético Sport Aviação (ASA) e Enana.
No seu currículo, constam três presenças em jogos Olímpicos, seis participações em mundiais e igual número em campeonatos africanos.