Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente da Associação quer evitar banho de sangue

06 de Setembro, 2015

Associação de Ciclistas Profissionais, Gianni Bugno, pediu na sexta-feira às organizações das provas

O presidente da Associação de Ciclistas Profissionais, Gianni Bugno, pediu na sexta-feira às organizações das provas e à União Ciclista Internacional (UCI) que tomem medidas para evitar o "banho de sangue" que considera estar a ocorrer na Vuelta.

"Já não é possível acreditar que estes acidentes se devem simplesmente à sorte ou à desgraça dos corredores da Vuelta e de outras competições importantes desde o começo do ano. Mais facilmente acreditamos na falta de organização, regras e controlos mais restritos que limitem o tráfego durante a prova e permitam ao ciclista fazer o seu trabalho com mais segurança", disse o italiano.

Numa carta aberta dirigida ao director da Vuelta, Javier Guillén, ao presidente da UCI, Brian Cookson, a Bruno Valcic, um membro dos jurados da corrida espanhola, Bugno considera que "é hora de pôr em prática algumas medidas" para evitar o que classificou como "banho de sangue" e que tem intenção de as propor numa reunião com a UCI. "Não podemos ver este banho de sangue como algo causado pela superficialidade ou incompetência. Há necessidade de uma responsabilidade maior por todos os envolvidos e, sobretudo, pelas organizações e a UCI.

Os ciclistas não podem fazer o seu trabalho sem pôr as suas vidas em risco e nós somos a voz deles", destacou o italiano. Na carta, Bugno exige aos organizadores da 'Vuelta' que garantam "de imediato uma competição mais segura" e à UCI "uma reunião rápida e urgente".