Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente da federao italiana defende adiamento do Euro2020

17 de Março, 2020

Mdicos da Liga italiana de futebol recomendam que as equipas no devem treinar

Fotografia: AFP

O presidente da Federação Italiana de Futebol (FIGC) defendeu ontem que o Euro2020, agendado para Junho e Julho, deve ser adiado, de modo a que os diversos campeonatos que estão interrompidos, devido ao surto de Covid-19, possam terminar. “O Europeu tem que ser adiado. A prioridade tem que ser os campeonatos. Temos que ter condições para concluir os campeonatos”, afirmou Gabriele Gravina, em entrevista ao jornal italiano Il Messaggero.
E disse mais: “Vamos ver que proposta o presidente [da UEFA] Aleksandr Ceferin vai apresentar. Nós [FIGC] fomos os primeiros a sugerir que o calendário internacional deveria ser reanalisado. A temporada está numa fase muito adiantada e terminar as competições de clubes, tanto campeonatos como taças, deve ser a prioridade”, reforçou o dirigente de 66 anos.
Gravina voltou a defender que a introdução de um sistema de ‘play-off’ poderá ser a solução para o final da temporada, apesar de vários clubes, tanto da Serie A como da Serie B (segundo escalão), já se terem mostrado contra.
“Se tivermos poucas datas para podermos fazer os jogos, isso poderá acontecer. Na minha opinião, acho que seria interessante e seria uma forma emocionante de terminar a época”, disse.
Quase todas as ligas, incluindo as ‘big 5’ (Inglaterra, Itália, Espanha, Alemanha e França) e a portuguesa, estão interrompidas, como forma de prevenção ao surto de Covid-19. O novo coronavírus responsável pela pandemia de Covid-19 foi detetado em dezembro, na China, e já provocou mais de 5.700 mortos em todo o mundo.
O número de infectados ultrapassou as 151 mil pessoas, com casos registados em 137 países e territórios, incluindo Portugal, que tem 169 casos confirmados.
A Organização Mundial de Saúde declarou que o epicentro da pandemia provocada pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2) se deslocou da China para a Europa, onde se situa o segundo caso mais grave, o da Itália, que anunciou sábado 175 novas mortes e que regista 1.441 vítimas fatais.
O número de infetados em Itália, onde foi decretada quarentena em todas as regiões, é superior a 21 mil, cerca de 3.500 mais do que na sexta-feira e praticamente metade dos quase 43 mil casos confirmados na Europa, que regista perto de 1.800 mortos.


DESPORTO ADAPTADO
Cancelado Open do São Paulo


O \"Open Brasil Loterias Caixa\" em atletismo e natação, em que Angola se iria representar com o atletismo, foi cancelado pelo Comité Paralímpico brasileiro devido a pandemia do Coronavírus.
A prova, que devia decorrer de 26 a 28, do corrente mês, no Centro de Treinamento da Vila de Guarani, em São Paulo, seria qualificativa aos Jogos Paralímpicos de Tóquio (Japão), em Setembro próximo.
De acordo com uma nota do Comité Paralímpico Angolano (CPA) a que a Angop teve acesso, no sábado, em Luanda, a decisão da organização visa garantir a saúde e a segurança dos participantes.
“Foi emitida uma declaração do Ministério da Saúde do Brasil recomendando o cancelamento ou adiamento dos eventos governamentais, desportivos, culturais, políticos, científicos, comerciais ou religiosos”, reza a comunicação.
A selecção nacional trabalhava para o efeito desde Janeiro último e devia seguir para o palco da competição no próximo dia 23.
Integravam a lista de convocados, liderados por José Manuel, os atletas José Chamoleia, da classe T11 (deficiência visual total), Manuel Jaime T46 (amputado de um membro superior) e Oliveira André T12 (deficiente visual parcial).
No sector feminino foram pré-seleccionadas as velocistas Regina Dumbo (T11), Juliana Moco (T11), Emelóide Adelino (T11), Esperança Gicasso (T11), Bifilia Mbuyo (T11) e Rita Lucunde T13 (deficiência visual parcial).Assim, o CPA vai apostar no Meeting da Tunísia, em Junho, para tentar obter as marc\'as exigidas para Tóquio, segundo o secretário-geral da instituição, António da Luz.