Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente da FIA faz duras crticas Ferrari

16 de Dezembro, 2014

Há sete épocas sem dar a um dos seus pilotos o título do Mundial de Fórmula 1, a Ferrari foi alvo de críticas do presidente da Federação Internacional de Automobilismo (FIA), Jean Todt. Em entrevista à RAI, o francês analisou a actual fase de seca de títulos e indicou um médico à equipa italiana.

“A Ferrari não está doente. Isso é exagero. É como alguém que está um pouco cansado e precisa ir ao médico”, falou Todt, que foi director executivo da Ferrari de 2004 a 2008. “Todos nós sabemos que a Ferrari tem um carisma muito grande no mundo, mas ainda mais na Itália, onde é uma questão bem emotiva mesmo.

Essa fascinação significa que a Ferrari às vezes toma decisões mais rápidas que outras equipas.  A situação precisa ser analisada detalhadamente para que seja traçado um plano, mas sem uma revolução”, analisou o mandatário. Embora Todt continue a ter necessidade de uma revolução, a escuderia está a  promover grandes mudanças nos últimos tempos.

Em Setembro, Luca di Montezemolo abandonou a presidência após 23 anos no poder. Sergio Marchionne assumiu. Os italianos também têm um novo chefe: Maurizio Arrivabene. No entanto, a aposta mais significativa é no tetracampeão mundial Sebastian Vettel, que foi contratado para o lugar de Fernando Alonso.

“Vencer faz parte da história da Ferrari, mas você não pode vencer sempre. Eu me lembro que, quando começamos a vencer, muita gente começou a falar que estava cansada porque sabia o resultado antes da corrida”, completou o francês.