Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente do COI pede agilidade organizao

01 de Agosto, 2015

Presidente do COI reiterou a confiana na boa realizao dos Jogos Olmpicos de 2016

Fotografia: AFP

O presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), o alemão Thomas Bach, reiterou nesta quarta-feira a confiança numa boa realização dos Jogos Olímpicos de 2016, que como disse, vai deixar “um grande legado para o povo do Rio de Janeiro”, cidade que dentro de pouco mais de um ano vai receber o maior evento desportivo do mundo. O dirigente falou ainda sobre os avanços nas obras de importantes estruturas, como a Vila Olímpica, porém não deixou de cobrar agilidade à organização da primeira Olimpíada na América do Sul.

O ex-esgrimista concedeu uma entrevista,  após uma reunião do Comité Executivo do COI, em Kuala Lumpur, onde discursou sobre os Jogos de 2016.

“Os Jogos Olímpicos deixarão um grande legado para o povo do Rio de Janeiro. Tenho muita confiança de que desfrutaremos de uma grande Olimpíada de 2016”, ressaltou o alemão, que ainda exaltou os “grandes avanços” realizados na Vila Olímpica e nas instalações desportivas. O dirigente ainda assegurou, que “o transporte público estará pronto à tempo”.

Medalha de ouro nos Jogos de 1976, em Montreal, Thomas Bach voltou a demonstrar confiança ao dizer que o comité organizador “está a preparar-se bem”, mas advertiu: “Não há tempo a perder”.

O integrante supremo do COI vai viajar para o Rio de Janeiro no próximo dia 5 de Agosto para os eventos que vão celebrar o tempo de um ano para o início dos Jogos Olímpicos.

MAIOR DESAFIO

Durante uma entrevista concedida em Kuala Lumpur, Thomas Bach, o presidente do Comité Olímpico Internacional (COI), afirmou que a limpeza da Baía de Guanabara é o principal desafio para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro.

“Nós temos estas questões que discutimos hoje, novamente. Sobre a limpeza da baía há medidas que foram apresentadas e que seguem dois caminhos. As que estão a começar agora e as que serão aplicadas justamente antes e durante as Olimpíadas para assegurar a segurança e a saúde dos atletas”, disse Bach, sobre as medidas tomadas pela Secretaria de Ambiente do Estado do Rio de Janeiro para despoluir a Baía.

A reunião na Malásia acontece, para que sejam discutidas as candidaturas das sedes olímpicas de inverno de 2022,  dos Jogos da Juventude de 2020. No dossier da candidatura do Rio de Janeiro para os Jogos de 2016 foi prometida a recuperação de 80 por cento da Baía de Guanabara. No entanto, em Março, o governador Luiz Fernando Pezão, afirmou que até ao momento, apenas 49 por cento do total tinha sido conseguido.

“Por um lado, vemos grande progresso e por outro, não há tempo a perder. Mas dado o facto que o Comité Organizador reconheceu os desafios, nós estamos confiantes que teremos grandes Jogos daqui à um ano, porque reconhecer os desafios é o primeiro e mais importante passo para superá-los”, afirmou o presidente do COI.


Breve
Vincenzo Nibali decide
presença na Vuelta

Apesar de ter ganho uma etapa, da Volta a França, Vincenzo Nibali acabou por ser uma desilusão, com o campeão em título a nunca conseguir entrar na luta pela classificação geral com Chris Froome e Nairo Quintana. O director geral da Astana, Alexander Vinokourov, afirmou que face aos resultados, o italiano tinha de correr a Vuelta, Nibali está em reflexão antes de anunciar uma decisão. Decisão que pode surgir ainda esta semana. “Se o Vincenzo for à Vuelta, é importante que o faça em boas condições, para corresponder às ambições da Astana. O plano é ir à Volta a Espanha para ganhar, com o Vincenzo ou com o Fabio Aru. Ele provavelmente vai tomar uma decisão no sábado, revelou o agente de Nibali, Alex Carera.