Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Presidente garante manuteno da disciplina

Jlio Gaiano, no Lobito - 18 de Abril, 2019

Lu�s Borges acrescentou, que a experi�ncia lhes diz que � nas comunidades

Fotografia: DR

Reagindo às acusações feitas contra si, o presidente da Académica Petróleos do Lobito, Luís Borges, manifestou-se tranquilo e optimista quanto ao futuro do andebol no grémio. Garante que, em momento algum, a modalidade deixará de existir naquela colectividade desportiva.
Em declarações à imprensa, Luís Borges, considerou infundadas e sem nexo as acusações imputadas a sua direcção e, sobretudo, a sua pessoa, como estando por detrás da extinção do andebol na Académica do Lobito, três décadas depois da sua praticabilidade.
“Não constitui verdade, que pretendemos acabar com o andebol. Estamos cientes que o andebol é uma modalidade que arrasta e mexe com as paixões dos munícipes. Estudos feitos por nós, demos contas que, ao trabalharmos aqui (na Restinga), dificilmente, atingiremos metas para as quais nos propusemos. Por isso, precisamos redefinir políticas para a pesquisa e prospecção de valores, que nos garantam a qualidade e quantidade competitivas, para os desafios que se impõem na modalidade”, justificou.
Luís Borges acrescentou, que a experiência lhes diz que é nas comunidades, nomeadamente nas zonas periféricas, onde se pode recrutar as mais-valias para o andebol de que necessitam para o seu clube.
“Não dispondo de meios de transportação para trazê-las aqui (na Restinga), julgamos ser útil irmos ao encontro das comunidades e ali trabalhar. Para isso, foi preciso fazer uma paragem estratégica, tendente a repensar num projecto sério, mais rentável e com menos custos. Afinal, somos um clube pequeno e que deve saber tirar proveito do pouco que tem à sua disposição”, justificou.
Sobre os atrasados, o presidente da Académica do Lobito remeteu o assunto à instância competente do clube, sem, contudo, avançar com mais pormenores sobre o assunto.