Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Problemas financeiros ofuscam desempenho na presente época

Rosa Napole?o - 06 de Janeiro, 2017

O ju-jitsu teve mau desempenho em 2016

Fotografia: Jornal dos Desportos

O ju-jitsu tradicional não conseguiu realizar todo o programa elaborado para a presente época desportiva. As fracas condições financeiras e a ausência de patrocinadores contribuiu para o fraco desempenho da modalidade.

Apesar das dificuldades, a Federação Angolana de Ju-jitsu conseguiu mobilizar algumas associações provinciais a realizarem os seus campeonatos. Muitas provas programadas ficaram por se realizar.

O ano passado a selecção nacional de ju-jitsu competiu no Campeonato Africano de Ju-jitsu decorrido na África do Sul, e conquistou cinco medalhas (quatro de ouro e uma de bronze).

Em terras de Nelson Mandela, contribuíram para as medalhas os atletas Leonel Ferreira (Terramoto), com o ouro na categoria +100 kg, do estilo brasileiro.

No estilo Tradicional participaram os atletas Daniel Nsango que reconquistou o título africano na categoria +94 kg, ao passo que Kudy Adriano sagrou-se campeão na categoria -62kg e Makinda Mbuta +66 conquistou a medalha de bronze.

Nesta altura os atletas prometeram trabalhar para subir ao pódio a prova mundial, mas o sonho ainda está por se realizar.

O processo eleitoral de renovação de mandatos foi a última actividade realizada pela instituição. O presidente Nzuzi Ndombaxi foi reconduzido a mais quatro anos de mandatos.



GERSON SIMÕES
Título mundial arrebatado nos EUA


O jiu-jitsu Brasileiro tem estado no seu auge com as participações em quase todos os campeonatos africanos e mundiais. Recentemente, a modalidade conseguiu arrecadar o título mundial através do atleta Gerson Simões,  numa prova que decorreu na Califórnia, 

EUA
Em Abril deste ano, Angola conquistou, igualmente, 16 medalhas no Campeonato do Mundo de Juniores de Jiu-Jitsu Brasileiro, realizado em Abu Dhabi (Emirados Árabes Unidos).

O país participou na altura com um total de 30 atletas de idades entre 10 e 17 anos, os angolanos conquistaram dezasseis medalhas (sete medalhas de ouro, seis de prata e três de Bronze).

Em termos de participações em Campeonato Mundiais o Jiu-jitsu brasileiro tem estado em alta. O atleta Leonel Ferreira "Terramoto", também conquistou a medalha de ouro, em 2013 e voltou a elevar a bandeira nacional com a medalha de bronze na mesma competição do ano seguinte.

Como se pode constatar, Angola já foi detentora das medalhas de ouro de forma consecutivas, nesta modalidade, sendo o angolano Walter Faustino foi o que mais títulos reuniu e mais medalhas em provas internacionais. Na sua galeria repousam os troféus de campeão africano em 2011, 2012, 2013 e 2014, campeão mundial em 2012, medalha do duplo ouro em Copenhaga, Dinamarca, medalha de bronze no Open Internacional de Roma, dupla medalha de ouro no Open Internacional dos Emirados Árabes Unidos, medalha de ouro no Open Internacional de Munique (Alemanha) e na Suécia.