Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Processo eleitoral ganha calendário

Silva Cacuti - 05 de Fevereiro, 2017

Os interessados na presidência da Faand devem proceder à entrega de candidaturas até ao dia 14 do corrente

Fotografia: Vigas da Purificação

O substituto de Pedro Godinho no cadeirão máximo da Federação Angolana de Andebol (Faand) vai ser conhecido a 11 de Março, data marcada para a realização do pleito eleitoral para a renovação de mandato. A data e o resto do calendário eleitoral foram aprovados por unanimidade, ontem, durante a assembleia-geral extraordinária convocada para o efeito, realizada na Galeria dos Desportos.

Antes da abordagem ao calendário eleitoral os associados de 16 províncias, faltou a associação do Cuanza Sul, elegeram Domingos Pascoal, Aida Pereira e Alexandrina Cabral para integrarem a Comissão Eleitoral. Domingos Pascoal preside, Aida pereira é secretária e Alexandrina Cabral foi eleita escrutinadora.

Os interessados na presidência da Faand, devem, segundo o calendário divulgado, proceder à entrega de candidaturas entre as 14H00 e 19H00 do dia 14 do corrente. As listas serão abertas às 18H00 do dia 15 e a sua elegibilidade só é divulgada no dia 25.

Às 00H00 do dia 26 de Fevereiro começa o período da campanha eleitoral que termina a 9 de Março. Os resultados oficiais da votação do dia 11 serão apenas conhecidos no dia 13 de Março.

Antes da aprovação do calendário eleitoral, Domingos Pascoal dirigiu a análise do regulamento eleitoral que, acabou aprovado após a introdução de duas emendas no seu articulado.

Foi ainda definida uma população votante constituída por 65 entres, entre clubes e associações. Luanda é o maior campo eleitoral, poderá votar com 10 clubes, mais a associação.

Benguela inscreve cinco clubes e a associação. Uíge e Cuando Cubango vão votar com quatro clubes e as respectivas associações. O Moxico tem apenas um clube inscrito na população votante e a associação local, sendo o menor círculo.

Pedro Godinho é, ainda, o único candidato à própria sucessão. Uma segunda candidatura pode ser anunciada a qualquer momento, mas o nome do seu líder ainda anda guardado a sete chaves. Sabe-se apenas que a lista é composta por muitos elementos do elenco anterior a Pedro Godinho que poderá ser abraçada, inclusive por outros que integraram o mandato cessante.

Pedro Godinho lidera a Faand desde 2008, depois de ter cumprido um mandato como vogal de direcção e outro como vice-presidente.


EMOÇÃO
Elogios emocionam
Godinho


Medo, tristeza, depressão, dor, saudade, raiva, aflição são estados emocionais que pode, levar as pessoas a lacrimejar, mas nenhum deles descreve a situação vivida por Pedro Godinho, presidente cessante da Federação Angolana de Andebol (Faand).

O ainda líder da Faand estava com muita alegria, quando lhe deram palavra, durante a  assembleia-geral, após ouvir vários líderes das associações (incluindo recém-eleitos) a elogiarem o desempenho da Faand nos últimos quatro anos e deixarem palavras de agradecimentos ao presidente e seu elenco.

"Ao olhar para este cenário recuei uns oito anos atrás e lembrei que são quase as mesmas pessoas que estiveram nas associações quando começamos, alguns membros da federação também e  há oito anos. Foi uma lágrima de satisfação por ter ouvido dos próprios associados o que ouvi. Sabe que as assembleias servem tanto para nos elogiarem e também nos criticarem e fiquei emocionado por sentir alguma franqueza nas pessoas que falaram", disse.

Monteiro Lino, presidente da Associação Provincial do Huambo, considera positivo o mandato de Godinho e realça a recuperação do título continental feminino como um dos últimos feitos do elenco cessante.

"A forma transparente como sempre soube gerir a federação é uma das virtudes do presidente cessante. Esta é uma das federações com este modelo de gestão transparente e ele está de parabéns por isso.

Os homens passam e as instituições ficam, por isso espero que caso não se candidate ou mesmo na eventualidade de perder as eleições, peço que Pedro Godinho dé o seu suporte naquilo que sabe, porque tem muita bagagem para ajudar o nosso andebol", comentou.

António Vezua, presidente da associação do Uíge, disse, à saída do encontro, que a reunião foi proveitosa, na medida em que a maioria das decisões foram aprovadas com unanimidade. O responsável do Uíge disse esperar, da parte de quem se venha candidatar, a continuidade de boas acções conducentes  ao desenvolvimento da modalidade de forma integral por todo o país.