Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Projecto Pitangana beneficia crianças

Hélder Jeremias - 01 de Julho, 2013

Projecto de ténis Pitangana foi lançado ontem em Luanda

Fotografia: Jornal dos Desportos

O projecto Pitangana foi lançado ontem em Luanda com jogos de exibição nos courtes do Clube de Ténis de Luanda e enquadra-se no programa de massificação da modalidade. Promovido por Manuela Ganga, o projecto contempla 30 crianças do Lar Mamã Muxima com idades compreendidas entre os 10 e 12 anos e conta com apoio da Federação Angolana de Ténis e do Clube de Ténis de Luanda. Criado há pouco mais de um ano, o projecto Pitangana, coordenado pelo técnico João Sanda, tem como objectivo a formação de atletas para a alta competição e proporcionar um futuro melhor às crianças desfavorecidas. Dois treinadores auxiliares ensinam o ABC. Marcada pela ausência da sua mentora, a primeira edição do torneio Pitangana teve “balanço positivo”, segundo João Sanda, que se apoiou na grande audiência dos amantes da modalidade e nos bons indícios de aprendizagem das técnicas elementares por parte das crianças. De acordo com João Sanda, as 30 crianças têm potencial para competir nas provas internacionais dentro de cinco anos. Para o efeito, o coordenador técnico incentiva as outras personalidades com algumas possibilidades a adoptarem o mesmo procedimento. Apesar do torneio não ter um propósito competitivo, foi notório o desejo dos petizes em obter os melhores resultados nas partidas de exibição. No final, a organização criou um momento de confraternização, com a distribuição de brindes e lanches. Em declarações ao Jornal dos Desportos, João Sanda exteriorizou a sua alegria por fazer parte do projecto filantrópico e vaticinou que as próximas edições do torneio Pitangana vão ter um cariz mais competitivo, tendo em conta a evolução dos petizes. “Estamos orgulhosos por contar com a boa vontade da senhora Manuela Ganga, pois hoje temos a possibilidade de ver crianças que nada entendiam de ténis a manusear raquetas com alguma disciplina. Isso permite augurar um futuro promissor”, disse João Sanda. HÉLDER JEREMIAS