Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Prolas enfrentam Srvias em Kumamoto

30 de Novembro, 2019

Prolas procuram contrariar ao mximo favoritismo das srvias

Fotografia: Jos Cola | EDIES NOVEMBRO

As selecções de Angola e da Sérvia defrontam-se, hoje, pela primeira vez, em Campeonatos Mundiais. A equipa da Sérvia estreou-se em mundiais na edição de 2013, que acolheu e acabou por jogar a final com o Brasil,  de Morten Soubak, na altura. O jogo acontece, às 7h00, no Pavilhão Aqua Dome de Kumamoto, Japão, e marca a abertura do grupo preliminar B.
A equipa teve outras presenças na prova, em 2001 e 2003, na altura, o país era a Sérvia e Montenegro. Entretanto, desmembrou-se de Montenegro, em 2006.
Não é um jogo fácil para qualquer uma das equipas. As europeias são favoritas, aliás, a 9ª posição no campeonato anterior em que as angolanas tiveram a pior prestação de sempre, 19ª, mostra o potencial das sérvias, tecnicamente comandadas por Ljubomir Obradovic.
O técnico Obradovic fala português e ao defrontar Angola vai, certamente, recordar-se do início da sua carreira de treinador, que teve passagem pelo Belenenses, de Portugal.  Esse elemento pode servir para decifrar orientações a serem dadas por Morten Soubak, que comanda as Pérolas, designação da Selecção Nacional.
Obradovic pode lançar ao jogo a guarda -redes Katarina Tomasevic e a meia -distância esquerda Sange Vujovic, que regressam à equipa, após o período de maternidade. A equipa efectuou um estágio na Coreia do Sul, onde disputou jogos com equipas locais e da Hungria.
Da parte angolana à expectativa é grande, porém, com  a certeza de que a equipa precisa de superar-se, para "driblar" o efeito da diferença horária e o choque de temperatura, uma vez que é das últimas a chegar ao palco do Mundial.
Kumamoto tem temperaturas previstas para hoje que rondam os três e 14 graus, contra os 24 a 29 graus centígrados deixados em Luanda. O Seleccionador Nacional encara a empreitada com optimismo e recorda o orgulho.
"O Mundial é uma competição muito difícil, sabemos que todos os adversários querem ganhar, mas queremos enfrentar os adversários sempre com orgulho”, disse.
Da parte das jogadoras, Isabel Guialo, a capitã, valoriza o trabalho feito no país e recorda o clima vivido no seio do grupo.
"Fizemos uma boa preparação e sinto que o grupo está bem preparado e motivado, aliás, ciente que não será uma competição fácil”, sublinhou.
Angola pode sair com a Bá à baliza, Janeth dos Santos e Iracelma da Silva (pontas), Albertina Cassoma (pivot); Magda Cazanga, Natália Bernardo e Azenaide Carlos, na zona intermédia. Angola está em Kumamoto com as seguintes atletas: Teresa Almeida “Bá”, Helena de Sousa, Amália Pinto (guarda-redes), Janeth dos Santos, Vilma da Silva, Iracelma da Silva (pontas), Albertina Kassoma, Liliana Venâncio, Ruth João (pivôs), Wuta Dombaxi, Aznaide Carlos “Zica”, Juliana Machado, Magda Cazanga (laterais), Natália Bernardo, Isabel Guialo “Belinha” e Helena Paulo (centrais).
Vitória, empate e até diferença de golos podem fazer efeito, pois, os moldes de disputa foram alterados. Passam para a segunda fase apenas as três melhores selecções de cada grupo.
No dia 2 de Dezembro, as "Pérolas", como é tratada a Selecção Nacional, defrontam a Holanda. Voltam a jogar no dia 3 de Dezembro, com a equipa da Eslovénia. Angola volta à quadra para defrontar a similar da Noruega,  no dia 5 e encerra a primeira fase da prova no dia 6 de Dezembro, diante de Cuba.