Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Promotor elogia Kicanga

17 de Fevereiro, 2015

Gaspar Guedes disse que está feliz pelo trabalho prestado depois da vitória consumada de Tony Kicanga

Fotografia: José Cola

O triunfo do angolano Tony Kicanga sobre o georgiano George Aduashvili na decisão dos títulos mundiais da categoria meios-pesados (79,9 kg), da versão do Conselho Universal de Boxe (UBC) e do Conselho Mundial de Boxe (WBC) torna positivo o balanço em torno da realização da Gala disputada a 14 do corrente, no Pavilhão Palanca Negra Gigante, na cidade de Malanje, garantiu Gaspar Guedes, da promotora Guedes Promoções.

Surgida no mercado em 2009, a Guedes Promoções retirou-se, por considerar que não havia  condições favoráveis à dinamização do boxe profissional angolano. “Renovamos a nossa licença para responder à solicitação de Tony Kicanga, um patriota que estava em risco de perder um título na sua posse e sem condições de uma defesa.

Tivemos vários percalços, mas o que foi satisfatório é o resultado obtido por Kicanga. Ficamos felizes. Fizemos tudo com afinco e o Kicanga deu-nos satisfação no final do combate. Valeu todo o sacrifício”, disse. A gala esteve inicialmente agendada para 24 de Janeiro e sofreu um adiamento para 7 de Fevereiro. P

or dificuldades na obtenção de valores para os “cachets”, a gala voltou a ser remarcada e realizada no dia 14 de Fevereiro.  Tony Kicanga, que já detinha o título da UBC, conquistou o inédito cinturão da WBC após atirar o seu desafiante ao tapete, num “KO”, ao segundo assalto do combate.
Gaspar Guedes disse que a realização da gala representa o cumprimento de um dever, já que se não se realizasse Tony Kicanga corria o risco de ver retirado o título na sua posse.

“Foi benéfico para o bom nome do nosso país e do boxe angolano. Se Kicanga não defendesse o cinturão, tinha de deixar o título vago. Hoje, estaríamos a debater-nos com a vergonha de não ter havido ninguém para ajudar  Kicanga a defender o seu título”, disse. Tony Kicanga, 41 anos, soma assim a primeira sequência de quatro combates vitoriosos da sua carreira, segundo dados do site Boxrec.

O angolano tem, agora, um registo de 18 vitórias, 20 derrotas, dois empates e um combate nulo. Além de Angola e Portugal, Tony Kicanga disputou combates na Colômbia, Bósnia Herzegovina, Espanha, França, Suíça, Itália, Alemanha e Dinamarca.