Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Promotor exalta comunicao social

Hlder Jeremias - 25 de Janeiro, 2015

Pedro Cristina ressaltou apreo especial comunicao social pelo trabalho excelente na divulgao do Rali Raid Carr

Fotografia: DR

O coordenador do Campeonato Angolano de Rali Raid/Carr, Pedro Cristina, enalteceu o empenho das equipas, órgãos de comunicação social e de todos quantos se empenharam para que a competição fosse a prova dos desportos motorizados mais regular da época 2014.

Em declarações ao Jornal dos Desportos durante a gala de entrega de prémios aos primeiros classificados de cada categoria, vencedores do concurso Fotorali e de órgãos de comunicação social que se destacaram na divulgação do campeonato, o responsável vaticinou significativas melhorias em 2015, cujo início está marcado para os dias 7 e 8 de Março na província do Namibe.

Pedro Cristina avança o seu prognóstico em função das informações, segundo as quais várias equipas procederam à aquisição de viaturas novas, equipamentos e apostam em jovens talentosos para poderem ser representadas com dignidade nos vários circuitos espalhados pelo país.

O responsável disse que sempre acreditou nas potencialidades oferecidas por Angola para a prática de rali em grande escala, não obstante as dificuldades atravessadas nos primeiros anos para identificar as melhores áreas de implementação dos circuitos. Pedro Cristina assegurou que graças ao apoio das autoridades e dos amantes do desporto foram criadas as condições para que o rali se desenvolva de forma célere.

No dizer do especialista, desde a criação do Campeonato Angolano os poucos anos permitiram dar tarimba competitiva aos pilotos das distintas categorias, razão pela qual os melhores estão à altura de fazer presença nas competições internacionais, tal como sucedeu na Baja de Portalegre 2014,  Portugal, em que Angola se fez representar por pouco mais de uma dezena de pilotos.

Pedro Cristina realçou que a entrega de troféus foi o culminar de uma etapa de trabalho árduo das equipas, pilotos, organização, profissionais da comunicação social e todas as envolvências que convergiram esforços para o sucesso alcançado. Para 2015, o responsável augura que cada sector volte a aplicar-se com o mesmo esmero na prossecução de resultados melhores.

"Estou feliz por termos cumprido o nosso programa de 2014 com a atribuição dos prémios. Acredito que a nova época vai ser mais produtiva, tendo em conta os níveis técnicos dos concorrentes e o apetrecho em meios das equipas. Um apreço para a comunicação social pelo excelente trabalho na divulgação, pois o desporto e a informação devem estar de mãos dadas", disse Pedro Cristina.

Além dos três primeiros classificados das categorias E 1, E 2, TT condutor, TT 2º condutor. M,  e Q, foram premiados os dois títulos das Edições Novembro EP, mormente o Jornal dos Desportos e “Jornal de Angola”, a Rádio Cinco e a TV Zimbo.


AUTOMOBILISMO
Lenda Jeff Gordon
abdica da Nascar


Jeff Gordon vai aposentar-se, 23 anos depois da sua estreia na Nascar, a mais famosa e popular categoria de stock car do mundo. O piloto norte-americano, uma lenda da modalidade, anunciou que a época de 2015 vai ser a sua última a correr regularmente como profissional.

"Pensei muito sobre o meu futuro no último ano e decidi que 2015 é a última vez que vou disputar o campeonato. Não vou usar a palavra 'aposentação', porque pretendo permanecer muito ocupado nos próximos anos e há sempre uma possibilidade de competir em alguns eventos, embora não tenha planos para isso", contou.

Gordon, um californiano de 43 anos, começou a carreira na principal categoria da Nascar em 1992. Desde então, sempre a correr pela Hendrick Motorsports, venceu 92 corridas e conquistou quatro títulos (1995, 1997, 1998 e 2001), tornando-se o terceiro piloto mais vencedor da história.

No automobilismo norte-americano é comum a presença de determinados pilotos e equipas em apenas etapas pontuais dos campeonatos. Assim, não é surpresa se, nos próximos anos, Gordon se inscrever para participar em provas como a Daytona 500, a mais tradicional da Nascar, ou mesmo arriscar-se noutras categorias, como a Indy.