Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Provinciais arrancam hoje

Rosa Panzo - 29 de Maio, 2013

Associao Provincial de Voleibol de Luanda conta com patrocnios de duas empresas de bebidas enrgicas

Fotografia: Jornal dos Desportos

As equipas femininas do 1º de Agosto A e 1º de Agosto Júnior abrem hoje, às 18 horas, no campo do MTA, o campeonato provincial unificado de voleibol de sala de Luanda para a época desportiva 2013.

O segundo jogo do dia vai ser disputado, às 19 horas, entre o Progresso do Sambizanga e Escorpiões, no campo do Sambizanga. O Petro de Luanda A recebe o Petro de Luanda Júnior no encerramento da primeira jornada no Eixo Viário. A equipa do BNA é a grande novidade da época desportiva e vai descansar por força de calendário.

A competição masculina vai ser disputada pelos mesmos clubes que disputam a prova feminina. Assim, o 1º de Agosto e Petro de Luanda fazem-se representar com duas equipas (seniores e juniores), Progresso do Sambizanga, Escorpião e BNA, com uma equipa cada.

Para garantir bom nível competitivo das equipas, a Associação Provincial de Voleibol de Luanda conta com patrocínios de duas empresas de bebidas enérgicas, segundo Egídio Setas, secretário-geral da Associação Provincial de Voleibol de Luanda.


Ex-director do Murcia
fala da morte de atleta

O ex-director do clube CAV Murcia, Juan Cuenca, vai depôr no sábado num tribunal espanhol, sobre o seu suposto envolvimento no desaparecimento e morte da ex-jogadora de vôlei Ingrid Visser e do seu namorado Lodewijk Severin.

Os corpos da ex-atleta, que actuou pela selecção holandesa e pelo Minas Ténis Clube, e do seu companheiro foram encontrados na segunda-feira.Ingrid e Lodewijk foram vistos pela última vez na tarde do dia 13 de Maio a saída de um hotel, onde haviam reservado uma estadia de duas noites para ir a uma consulta médica na manhã do dia seguinte. Cuenca, 36 anos, que mora em Valência, foi enviado para Múrcia após a sua detenção, que aconteceu no último sábado.

Ele já foi interrogado por policiais que participam da investigação. Ainda no sábado Cuenca regressou para a cidade onde vive e fica encarcerado. O chefe de polícia de Murcia, Cyril Duran, declarou aos jornalistas locais que o crime teria sido motivado por um desentendimento entre o casal e os suspeitos, devido a um acordo comercial que tinham em comum.

Também em Valência foram detidos outros dois supostos envolvidos. Dois cidadãos romenos que são acusados de serem os autores do desaparecimento e assassinato. Ambos não têm antecedentes criminais e vão depôr hoje num tribunal da cidade. Os corpos foram encontrados num pomar de limões, na localidade de Alquerías, em Múrcia. Segundo a polícia, o assassinato, no entanto, ocorreu no cemitério de Molina de Segura.