Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Quatro pilotos ameaçam greve

18 de Abril, 2014

A fórmula 1 é um desporto que gera milhões mas há pilotos com salários em atraso

Fotografia: Reuters

A crise também é vivida na Fórmula 1. Numa competição que gera milhões de euros, há equipas com problemas financeiros e com dificuldades em pagar os salários dos pilotos.Nico Hulkenberg da Force India, Romain Grosjean da Lotus, Adrian Sutil da Sauber e Kamui Kobayashi da Caterham reclamam salários em atraso e ameaçam fazer greve no GP da China se não receberem pelo menos parte do dinheiro que lhes é devido.A notícia é avançada pelo jornal alemão “Bild” e confirmada por Nico Hulkenberg, piloto da Force India.

“As equipas estão conscientes da situação. Um piloto pode facilmente ser substituído. Os atrasos não acontecem sem um motivo. Simplesmente não há dinheiro. Este desporto é demasiado caro”, lembrou o actual terceiro colocado do campeonato.Além destes quatro há ainda Kimi Raikkonen que tem contas a saldar com a Lótus relativas a época passada.Se os pilotos forem adiante com a greve, as equipas vão ter de recorrer aos pilotos de reserva para a quarta prova do Mundial de Formula 1.

BUTTON

O inglês Jenson Button foi questionado sobre se preferia Sebastien Vettel ou Fernando Alonso como companheiros de equipa e a preferência recaiu sobre o espanhol. “Eu não quero mudar de companheiro de equipa, mas numa outra realidade eu escolhia Fernando Alonso, porque acho que ele é muito talentoso. É muito rápido e muito inteligente e somos muito parecidos na maneira de trabalhar com as pessoas ao nosso redor. Sabemos o que é que nos ajuda a ser competitivos. Eu acho que devia ser um desafio muito interessante”, disse o inglês em entrevista ao jornal “Marca”. O piloto britânico, campeão do Mundo em 2009, está desde 2010 na McLaren.