Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Quénia comemora dobradinha

03 de Janeiro, 2014

Quenianos estiveram em grande na São Silvestre do Brasil e as vitórias agradaram ao embaixador daquele país

Fotografia: AFP

Kipsang e Nancy Kipron proporcionaram uma dobradinha ao Quénia na corrida internacional de São Silvestre, disputada na manhã de terça-feira.

Depois de participar na cerimónia de premiação, Kirimi Kaberia, embaixador do país africano no Brasil, festejou o resultado.

"O Quênia comemorou o cinquentenário da sua independência há apenas duas semanas e hoje (terça-feira) é um dia muito alegre para nós. Somos um país de corredores, uma nação de desportistas. Foi extremamente importante estar aqui e vencer nos masculinos e nos femininos. Estamos felizes e orgulhosos", disse o embaixador.

Responsável por representar o Quénia no Brasil,  Argentina,  Colómbia,  Chile e  Venezuela, Kirimi Kaberia foi recebido por Carlos Francisco Bandeira Lins, presidente do Conselho Curador da Fundação Cásper Líbero, organizadora da São Silvestre.

No total, o Quénia colocou seis atletas no pódio da 89ª edição da prova paulistana. Além de Edwin Kipsang e Nancy Kipron, Mark Korir, Stanley Koech, Jackline Sakilu e Delvine Meringor terminaram entre os cinco primeiros colocados nas suas respectivas categorias."Há quem diga que é genético.

Alguns atribuem às condições geográficas e outros ao estilo de vida. Na minha opinião, é isso tudo combinado", disse o embaixador, tentando explicar a ampla superioridade dos atletas do Quénia nas provas de fundo pelo mundo.

"É muito trabalho duro, disciplina e cultura. A potência do país no atletismo é resultado de um modo de vida que se desenvolveu durante um longo tempo. Os nossos jovens têm bons exemplos do passado, como o Paul Tergat (pentacampeão e recordista da São Silvestre), e o surgimento de novos corredores tornou-se um processo natural", completou.

A oportunidade de actuar como embaixador no Brasil nos anos que antecedem o Campeonato do Mundo 2014 e os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro 2016 animam Kirimi Kaberia, em Londres 2012, o Quénia facturou 11 medalhas, duas de ouro, quatro de prata e cinco de bronze, todas no atletismo.

"Tenho o privilégio e a honra de ser o embaixador do meu país no Brasil numa época muito especial. O futebol e o desporto em geral são muito importantes para as pessoas do Quénia. Por isso, estar aqui neste período de preparação para o Campreonato do Mundo e para os Jogos Olímpicos é uma oportunidade incrível", declarou.


IAAF está preocupada
com a poluição na China


O presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), Lamine Diack, pediu ontem às autoridades chinesas para melhorarem a qualidade do ar nas suas cidades, a um ano dos Mundiais de Pequim.

"Esperemos que o Governo faça mais esforços para controlar a poluição e se centre no controlo da qualidade do ar", destacou Diack, que esteve em Xiamen, no Sudeste da China, para acompanhar a maratona da cidade (incluída na categoria de Ouro da IAAF).

O presidente da IAAF insistiu que o país asiático também precisa de melhorar a sua situação ambiental por causa da crescente popularidade das maratonas. Os Mundiais de Atletismo de 2015 ocorrem em Pequim, sendo grande parte das provas disputadas no Estádio do Ninho de Pássaro, uma das infra-estruturas emblemáticas dos Jogos Olímpicos de 2008.

Em 2008, o governo chinês tomou uma série de medidas para controlar o ar, como a limitação de tráfego e a recolocação de fábricas poluidoras. No entanto, após os Jogos Olímpicos, a situação piorou em 2013 e as cidades chinesas registaram o maior número de "smog fotoquímico" (nevoeiro causado pela poluição) da sua história, o que põe em risco a saúde dos atletas.


BREVE

Atleta morre durante corrida em Espanha

Um atleta morreu terça-feira enquanto disputava a Corrida de São Silvestre na cidade de Gijón, na Espanha, após sofrer uma paragem cardíaca. De acordo com a prefeitura local, a vítima era um argentino de 45 anos. O corredor desmaiou com apenas algumas quilómetros de prova. Os espectadores testemunharam a cena e avisaram a polícia, que imediatamente chamou os médicos presentes na prova. Os especialistas assitiram o corredor argentino, que posteriormente foi transferido para o Hospital de Cabueñes. O atleta não resistiu e morreu pouco depois. A Corrida de São Silvestre de Gijón disputou em 2013 a sua 44ª edição e contou com a presença de 5.600 participantes.