Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Quilengus com dificuldades de infra-estruturas

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 08 de Abril, 2019

Fotografia: Jaimagens | Edies Novembro

A insuficiência de infra-estruturas desportivas no município de Quilenguês, 145 quilómetros à Norte da cidade do Lubango, província da Huíla, tem dificultado o progresso da massificação nas modalidades de basquetebol, andebol, atletismo, motociclismo, futsal, futebol e as artes (karaté shotokan e taekwondó).
 Doménico Mavela, responsável pela secção da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos daquela circunscrição, apontou que essas dificuldades assentam-se na exiguidade de quadras polivalentes para o futsal, basquetebol e campos para a prática do futebol onze, entre outras modalidades. 
 Apesar de algumas dificuldades daqui e acolá, citou, o desporto naquela municipalidade, está a tentar gerir essa situação na medida do possível.
“Nesse preciso momento estamos a encontrar algumas dificuldades, sobretudo no tocante aos campos no município que são poucos. Também já localizamos alguns espaços, para podermos aumentar o número de campos, porque contamos apenas com dois, nomeadamente o campo do Mussolo e do 11 de Novembro. Por isso, o desporto nesse campo há lutas”, disse.
 O único campo polivalente existe naquelas paragens, as vezes é utilizado pelos alunos de diversas instituições escolares, para aulas de educação física e ao mesmo tempo pelos jogadores na prática desportiva, contou Doménico Mavela.
 Confirmou existirem talentos que despontam para poderem ingressar em modalidade que surja no município, porém falta aos jovens um bom acompanhamento por parte dos treinadores.
 Doménico Mavela salientou que duas formações de basquetebol, estão a renascer no município de Quilenguês e acrescentou contar também com 4 equipas de futsal, enquanto no campeonato do gira-bairro que decorre, estão inscritos 8 clubes, assim como possui uma equipa federada dos escalões de sub-20. 
 “Neste momento são 8 equipas que participam no gira-bairro e o campeonato está sendo bem disputado. Até admiro, porque são poucos clubes mais há muito trumuno”, destacou. 
O responsável defendeu a necessidade de nos projectos de construção de escolas, sejam incluídos infra-estruturas com realce as quadras polivalentes e campos, para desenvolver o desporto.
“Queremos que quando essas empresas ganham o concurso de construção de escolas devem pôr um campo polivalente, para facilitar o nosso desporto a nível do município, porque com um campo só, não vamos conseguir encontrar bons talentos sobretudo no basquetebol, andebol, futsal, futebol, entre outras modalidades. Digo isso porque só há um único campo, estamos a improvisar”, disse.
Face a isso, revelou que o órgão que dirige, já marcou audiências com os governantes, para que todas aquelas empresas que ganham concursos de construção de escolas, devem, quer na comuna e na sede, pôr um campo polivalente e uma quadra de basquetebol, para se poder ampliar as modalidades a nível do município.