Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rafa Benítez tem melhor média da carreira

31 de Dezembro, 2015

Treinador ficou seis anos no Liverpool e conseguiu os melhores resultados até chegar ao Real Madrid

Fotografia: AFP

O crédito de Rafa Benítez parece ter terminado no Real Madrid, após 16 jornadas do Campeonato Espanhol,  há quem diga que os “merengues” procuram  um novo treinador no caso de mais um tropeço do espanhol. Três empates e três derrotas,  uma delas por 4-0 para o Barcelona, parecem ter sido a gota de água para a claque e para a direcção do clube.

Mesmo assim, Benítez pode terminar a  passagem pelo Real Madrid com a melhor média de pontos da carreira, ou seja, 2,26. Se Benítez abandonar o Real Madrid, podia fazê-lo com números parecidos  aos  de José Mourinho. O português, citado para assumir a equipa da capital, em três épocas com os blancos, conseguiu uma média de 2,30 pontos por jogo, contra 2,26 do espanhol.

Outro possível substituto de Benítez é Zinedine Zidane. A sua curta trajectória em Castilla, escalão de formação do Real, não regista uma média de pontos alta, como Mourinho ou Benítez: Em 41 jogos, desde meados de 2014, o Zizou tem uma média de 1,59 pontos.

Nas 23 partidas disputadas, o Real Madrid conquistou uma média de 2,26 pontos, por confronto. Registo superior ao do treinador espanhol na época 1995/96, altura em que desceu de divisão com o Valladolid após apenas dois triunfos e sete empates em 23 partidas (média 0,20 pontos por jogo).

Benítez voltou à elite espanhola em 1998/99, mas só começou a melhorar os seus números nos anos 2000,  após um bom trabalho no Tenerife, conseguiu o primeiro grande clube na carreira, o Valência. O seu período no Mestalla encerrou com dois Campeonato Espanhóis, uma Liga Europa e uma média de 1,89 pontos nas 155 partidas disputadas.

Em seguida, Benítez igualou a marca no Liverpool, onde ficou seis temporadas. Na Terra dos Beatles, conquistou uma Taça da Liga Inglesa, uma Taça da Inglaterra, uma Supertaça da Europa e uma "Champions League", em final histórica, aos penáltis, com o Milan.

Em 2010, arriscou na complicada tarefa de fazer a claque do Inter de Milão esquecer José Mourinho, que tinha vencido o Campeonato Italiano, a "Champions League" e a Taça da Itália. Em Milão, durou  25 jogos, com média de 1,68 por partida levou a Supertaça a Itália e o Mundial de Clubes.

Benítez ficou três anos até regressar ao Chelsea, onde conseguiu os melhores resultados até a chegada à Madrid. Em 48 jogos, uma média de 1,96 pontos renderam-lhe uma Liga Europa. Já em 2013, regressou a Itália para assumir o Nápoles, onde conseguiu a boa média de 1,87 pontos em 122 confrontos.