Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rafael Filipe conquista trofu Kamuzomba

Benguela. J?lio Gaiano, no Lobito - 01 de Janeiro, 2017

O atleta da Académica do Exercito do Lobito, Rafael Filipe, foi o grande vencedor da corrida pedestre, denominada Família, Saudemos os Feitos de Kamuzomba, disputada na manhã de sábado 31, na cidade ferro-portuária do Lobito.

Num percurso de 3800 metros, o vencedor de 21 anos de idade, terminou a prova com o registo de 11 minutos, 27 segundos e 10 milésimos. Na segunda posição quedou o atleta do Núcleo do 1º de Agosto, Alberto Domingos, com a marca de 12min.39 seg.21 ml, ao passo que Evaristo Geraldo, do 11 de Novembro de Benguela, fechou o pódio com 13,22,01 minutos.

Na classe feminina, o triunfo coube a jovem atleta da Académica do Exército, Teresa Praia, 15 anos de idade, que totalizou o referido percurso (3800 m), com a marca de 16 min. 57 Seg. 10 ml, secundada pela sua colega de equipa, por sinal irmã mais velha, Rosa Praia, 21 anos de idade, (19’39’’21’’’) e Salita Benvinda, de igual modo da Académia do Exercito, com o registo de 23 minuto 22 segundos e 01 milésimo.

Duas centenas entre federados e antigos praticantes, bem como populares, participaram da corrida da família que visou homenagear os feitos do veterano Ernesto Tadeu Bastos “Kamuzomba”, no atletismo nacional.

O administrador municipal, Alberto Ngongo, deu sinal da largada que partiu na ponte Carmona que culminou nas portas-do-mar, isto é, defronte ao edifício da Administração Municipal do Lobito.

Em declaração aos órgãos de comunicação social, Maria Diu, membro da organização, considerou positivo o evento, tendo enaltecido o apoio institucional e moral prestada pela Administração Municipal do Lobito e fez voto que o gesto se repita nas próximas edições (em 2017 haverá mais), e que o número de participante aumente.

“Confesso que a corrida superou as nossas expectativas. O número de participantes que aqui apareceu traduz bem aquilo que representa o atletismo e a pessoa do homenageado (Ernesto Kamuzomba). Estamos satisfeitos e desta feita não temos por que desistir, aliás, a prova veio para ficar. Parar é morrer”, precisou.

Maria Diu revelou que a organização estuda a possibilidade de promover uma meia marataná (21,1 quilómetros), na qual possam participar corredores consagrados do país e estrangeiros radicados no país, de forma a tornar vivos os feitos protagonizados o velho corredor Ernesto Tadeu Bastos “Kamuzomba” que, por razões de calendário, não esteve presente no certame.

Ainda assim, filhos, sobrinhos e netos e amigos e parentes seus participaram da corrida pedestre que mobilizou a família do atletismo na província de