Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Raikkonen acredita na luta pelo título

21 de Abril, 2016

Piloto finlandês conquistou quinto lugar no Grande Prémio da China

Fotografia: AFP

Kimi Raikkonen foi um dos destaques do GP da China, conquistou o quinto lugar depois de cair para a penúltima posição no início da prova devido a um toque com o próprio companheiro da Ferrari, Sebastian Vettel, na primeira volta. A velocidade demonstrada pela equipa permitiu a recuperação, anima o finlandês, que não descarta a possibilidade de lutar com as Mercedes pelo título.

"Só foram três corridas. Obviamente, muita coisa pode acontecer - e vai, com certeza. Só temos de pontuar o máximo possível e não tivermos mais problemas em nenhuma corrida, para tentar nos colocar à frente", avaliou."Acho que em termos de velocidade, não estamos tão mal - como mostramos na classificação na China temos velocidade para estar muito perto deles se não cometermos erros. Pelo menos, parece que estamos mais próximos. Mas se não conseguimos fazer corridas limpas e eles o fizerem, não temos como batê-los."

O facto de Raikkonen insistir na necessidade da Ferrari ter corridas mais limpas é justificável: A equipa italiana teve problemas em todas as provas até aqui. Com o próprio Raikkonen, a lista conta com uma quebra do turbo na Austrália, uma partida péssima no Bahrein e o embate na China."Há circuitos em que seremos mais fortes do que aqui, e às vezes, eles serão provavelmente mais fortes, mas o principal é melhorar o carro e o pacote em geral. Mas precisamos de corridas limpas. Se tivermos problemas, isso não ajuda no campeonato. Precisamos de fazer um trabalho melhor."

LEWIS HAMILTON
MANDA RECADO

Lewis Hamilton é o piloto com mais seguidores nos medias sociais e é difícil ser elogiado pelo chefe da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, que o considera o campeão que mais trabalha em favor do desporto.De facto, o britânico acha que faz tanto pela categoria que não  deve mais nada."Na verdade, eu promovo o desporto muito mais do que qualquer outro piloto. Vou a mais eventos falar sobre a F-1 do que qualquer outro - provavelmente mais do que todos os pilotos juntos ou mais. Então, não sinto que tenha qualquer responsabilidade a mais", afirmou em entrevista à CNN.

"Tenho fãs incríveis e passo o tempo que posso a motivá-los  e a energizar aqueles que me seguem. Não sei o que mais tenho de fazer. Estou aqui há dez anos. Amo o desporto. Dou a eles o meu sangue, suor e lágrimas. Então não acho que devo nada à F-1."Entretanto, Hamilton também falou sobre a actual sequência positiva do companheiro Nico Rosberg, que venceu as três primeiras etapas do campeonato e aproveitou-se dos contratempos do britânico, que sofreu embates nas partidas nas três ocasiões e perdeu as posições. Com isso, Hamilton está a 36 pontos do alemão."Ele fez um óptimo trabalho. Mas não estive por perto para realmente lutar com ele", lembrou. "Ele teve vida fácil nas últimas corridas. É bom para ele. Aproveite enquanto dura porque você nunca sabe quanto vai durar."