Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Raikkonen e Ricciardo acenam com despedida

29 de Fevereiro, 2020

Fotografia: AFP

A temporada 2020 da Fórmula 1 está apenas nos primeiros dias de teste, mas alguns fãs já estão a pensar nas corridas finais. O motivo é a grande chance de dois pilotos estarem perto do abandono da carreira. Kimi Raikkonen e Daniel Ricciardo abordaram o assunto em alguns momentos e dão sinais de uma possível despedida neste ano. Os dois pilotos fizeram história na F1, apesar de só o finlandês ter conseguido o título mundial.
Com 40 anos e mais de 300 largadas, Raikkonen é um dos pilotos mais adorados pelos fãs da Fórmula 1. O finlandês foi campeão em 2007, quando estava na Ferrari, e sempre se destacou pela grande habilidade atrás do volante e pela calma que consegue manter durante toda a corrida. Porém, agora com mais idade, as chances de ele deixar a carreira são grandes, principalmente por já ter parado uma vez.
Kimi despediu-se temporariamente da F1 em 2010, mas ficou fora por pouco tempo. Em 2012, assinou com a Lotus e voltou para fazer uma das temporadas mais marcantes de sua carreira. Após retornar para a Ferrari em 2014, acabou sendo uma espécie de escada para Sebastian Vettel, vencendo apenas uma corrida. No ano passado, sem espaço na equipa italiana, assinou com a Alfa Romeo.
Agora, em 2020, Raikkonen busca um recorde que Rubens Barrichello detém desde 2011: o maior número de largadas na F1. O brasileiro conta com 326 largadas, e Kimi pode ultrapassar esse número no GP da Áustria, em junho deste ano. Além disso, o finlandês também sonha com o título, apesar de as projeções de aposta desportiva indicarem que isso é muito complicado de acontecer.
Raikkonen, entretanto, não é o único piloto apontado pelos rumores em termos de despedida da carreira. Em entrevista no final do ano passado, Daniel Ricciardo assumiu que tem pensado em despedir-se da Fórmula 1. O piloto de 30 anos foi um dos mais arrojados que a organização já teve, porém nunca conseguiu um título mundial. Ele ficou na Redbull por quatro temporadas, entre 2014 e 2018, mas sofreu com o domínio da Mercedes no período.