Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Raikkonen elogia chefe da Ferrari

01 de Julho, 2014

Kimi Raikkonen mantém a esperança de subir ao pódio ainda no decorrer da presente época

Fotografia: AFP

Kimi Raikkonen mostra confiança no trabalho de Marco Mattiacci, mesmo a sofrer para conseguir bons resultados na época'2014. Para Kimi, o novo dirigente, que assumiu o cargo de chefe da Ferrari em Abril após a saída de Stefano Domenicali, tem feito um bom trabalho e vai conseguir retomar o bom desempenho da equipa ainda na presente época.

"Cada um tem a sua própria maneira de fazer as coisas. Quando Marco começou, não tinha tanto conhecimento da F-1 como Stefano, mas quer fazer a diferença e conhece o desporto; está a fazer um trabalho muito bom que as pessoas não vêem. Esses são bons sinais", afirmou Raikkonen.
Kimi Raikkonen avalia que a mudança foi boa para toda a equipa. "Marco é uma pessoa boa com quem se pode trabalhar, pois é também diferente de Stefano", disse.

Raikkonen assegurou que tinha "um relacionamento muito próximo com Stefano", mas é "uma mudança para todos" e, às vezes, "isso é uma coisa boa". O campeão de 2007 disse que as pessoas vêm de fora da F-1 com uma visão diferente das coisas e podem ajudar. O piloto é o que mais tem sofrido com o desempenho actual da Ferrari. Sem se dar muito bem com o novo F14 T, Raikkonen é apenas o 12.º posicionado no Mundial, com 19 pontos.

O seu colega de equipa, Fernando Alonso, não está na luta pelos primeiros lugares devido ao grande desempenho da Mercedes.
Alonso ocupa o quarto lugar com 79 pontos e luta pela terceira posição com Daniel Ricciardo, da Red Bull, que tem 83.

SEGREDO É NORMAL
NA EQUIPA DA MERCEDES


Ao contrário de Toto Wolff, chefe da Mercedes, que pensa que os seus pilotos não devem esconder as informações a pensar apenas no benefício próprio, Nico Rosberg acredita que manter algumas coisas em segredo é normal na luta pelo título da Fórmula 1. "Está tudo em aberto. Os dados estão lançados. Às vezes, é desnecessário colocá-los na mesa e dizer: 'Olha, aqui está o que fiz'. Se encontrar um pouco de vantagem em algum lugar, não vou contar para todo o mundo sobre isso, vou guardá-la para mim mesmo", afirmou Rosberg.

No começo da semana, Wolff comentou que a disputa acirrada entre Rosberg e Lewis Hamilton pode abrir espaço para as equipas rivais, como aconteceu no treino qualificativo para o GP da Áustria, no qual Felipe Massa acabou com o domínio da equipa ao ficar com a pole-position pela primeira vez na época. Ao entender o posicionamento do dirigente, Nico Rosberg reafirmou que tem um bom relacionamento com Hamilton e sabem manter a disputa sem prejudicar a equipa.

"No fundo, estamos a correr pelas Flechas de Prata e tudo é livre, porque a equipa precisa ser forte e somos mais fortes quando trabalhamos juntos. A manter-se assim, seremos mais fortes. Ao mesmo tempo, também lutamos uns contra os outros, por isso, quando temos alguma vantagem, é preciso aproveitá-la", concluiu.

Tripla colombiana
termina com pódio


A Colômbia dominou a primeira prova da ronda dupla da etapa da Fórmula Indy em Houston, no estado norte-americano do Texas. O pódio foi composto apenas por pilotos colombianos, Carlos Huertas venceu, seguido por Juan Pablo Montoya e Carlos Muñoz. Na sua primeira época da Indy, Carlos Huertas alcançou a vitória inédita após ter largado na 19.ª posição. Huertas assumiu a liderança, quando faltavam apenas sete voltas para o final da prova. Por causa da chuva, Huertas terminou antes das 90 voltas previstas ao estourar o tempo de 1h50.

Juan Pablo Montoya, com grande experiência na categoria e também na , Fórmula 1, terminou na segunda posição. O terceiro lugar foi para Tony Kanaan, mas o piloto foi atingido no final da prova por Graham Rahal. Por ter causado o acidente em Kanaan, Rahal, que terminou em terceiro, foi desclassificado e Carlos Muñoz "herdou" a posição e completou o pódio de pilotos da Colômbia em Houston.