Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Raikkonen está decepcionado

26 de Junho, 2014

De volta à Ferrari após dois anos, Kimi Raikkonen está decepcionado. O piloto, que deixou a Lotus em busca de mais condições para chegar ao pódio, vem sofrendo com os problemas no carro da escuderia e já não esconde a sua insatisfação com a situação actual. Para ele, a equipa ainda não conseguiu fazer grandes adaptações no bólido desde o início da temporada.

"Eu acho que estamos mais ou menos no mesmo lugar”, afirmou Raikkonen, explicando os problemas que teve no último final de semana. “Eles [engenheiros] pediram-me para resfriar os freios, mas eu estava a tentar lutar contra os outros pilotos. Portanto, é muito difícil depois de duas voltas ser solicitado a diminuir o ritmo para solucionar as questões de freio”, completou.

No Grande Prémio da Áustria, Kimi, além da deficiência dos motores da Ferrari em relação ao da Mercedes, sofreu com problemas nos travões que o obrigaram a diminuir o ritmo logo no início da corrida. Devido a esses problemas, Kimi foi apenas o décimo colocado em Spielberg. Já Fernando Alonso, com menos problemas, foi o quinto, atrás das duplas da Mercedes e da Williams, respectivamente.

Wolff considera Rosberg vencedor natural

A vitória de Nico Rosberg no GP Áustria foi natural e nunca podia ser colocada em causa, pelo companheiro de equipa Lewis Hamilton. Esta é a opinião de Toto Wolff, director da Mercedes, anular dúvidas sobre hipotéticos favorecimentos."Ele [Hamilton] perdeu a corrida na qualificação", afirmou Wolff, em declarações citadas pelo Autosport.com. "Fez uma recuperação tremenda, com excelente largada e não menos excelente volta inicial.

Os nossos cálculos indicavam que o segundo lugar  era o melhor resultado que podia alcançar. E foi isso que ele conseguiu", acrescentou o director da equipa Mercedes. A gestão das expectativas dos únicos dois pilotos, que de facto podem ganhar o Mundial não é tarefa fácil e presta-se a diversas leituras, pelo que Wolff procura posição, digamos, pedagógica face à especulações ou mesmo dúvidas de qualquer dos homens da Mercedes.

Na Áustria, os factos falaram por si. Hamilton errou na qualificação e ao sair apenas da nona posição da grelha obrigou-se a atitude mais agressiva para chegar aos lugares da frente. Isso, significou mais desgaste nos travões, nos pneus e na própria gestão do motor e sistema de recuperação de energia. Mesmo a estratégia de entrada/saída nas boxes não serve de argumento. Afinal, Hamilton entrou primeiro que Rosberg e até ganhou um lugar – a Valtteri Bottas.