Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Raikkonen mantm cautela

21 de Março, 2013

Piloto da Lotus pede cautelas porque tudo pode mudar no prximo GP

Fotografia: AFP

O finlandês Kimi Raikkonen mais uma vez fez jus à fama de “homem de gelo” ao não demostrar empolgação com a conquista no Grande Prémio da Austrália. O piloto da Lotus considera que tudo pode mudar na próxima etapa.

“Uma vitória é uma vitória. Claro, estou feliz mas nós não precisamos de ser sempre rápidos, então isso pode ser um bom sinal, uma boa corrida para nós. Mas pode ser uma história completamente diferente na Malásia, então não há motivos para pular e ficar feliz com isso”, declarou.

Raikkonen diz que ainda é cedo demais para vibrações, pois ainda há uma longa temporada pela frente. “É uma temporada longa e, no final, queremos estar no topo de todas as corridas. E vai ser um ano difícil para isso”, ressaltou.

O finlandês destacou o bom desempenho do carro na Austrália, mas lembrou que isso não foi visto nos testes de pré-temporada. “Tudo funcionou bem na Austrália, não tivemos problemas com o carro, o E21 é bom e a equipa tem trabalhado bem. Mas é bom olhar os testes de inverno, quando tive o mínimo de quilometragem e não tivemos um período muito especial”.

Button insatisfeito
Longe do pódio na primeira etapa da Fórmula 1, na Austrália, Jenson Button criticou o desempenho da McLaren durante o fim-de-semana. O piloto inglês largou em 10º e terminou a prova apenas na nona posição.

Questionado sobre o desempenho do seu carro no GP da Austrália, o campeão mundial de 2009 foi pessimista. Para Jenson Button, a McLaren não pode pensar em vitórias no momento.

“Da maneira como o carro está, não vamos ganhar uma corrida. O nosso carro precisa de muito trabalho para se tornar competitivo. Para a Malásia, no próximo fim-de-semana, temos poucos dias, mas espero que possamos entender o carro para conseguir melhorar”, disse.

MOTORES
Ralf Schumacher abandona as corridas


O piloto alemão Ralf Schumacher, irmão de Michael Schumacher, heptacampeão mundial de Fórmula 1, vai abandonar os volantes, anunciou ontem a agência alemã de notícias desportivas SID.

Segundo a mesma agência, Ralf Schumacher tinha assinado contrato com a Mercedes em meados de Fevereiro para disputar o Campeonato Alemão de Turismo (DTM) de 2013 ao volante de um Mucke, da equipa de quem já era accionista.

O irmão de Michael Schumacher decidiu deixar a vaga de piloto para o jovem Pascal Wehrlein, de 18 anos, passando a ocupar-se da gestão da equipa.
Ralf Schumacher passou dez anos na Fórmula 1, entre 1997 e 2007, período em que representou a Jordan, Williams e Toyota.

No currículo do “circo”, o mais novo dos Schumacher conta com seis vitórias e um total de 27 pódios em 182 corridas.


AUTOMOBILISMO
Rali Dakar’2014 passa na Bolívia


O rali Dakar vai passar pela primeira vez na Bolívia em 2014, num percurso que liga a Argentina ao Chile, deixando o Peru de fazer parte da corrida, anunciaram quarta-feira os organizadores.

Depois de ter sido o local de partida em 2013, o Peru fica fora da corrida em 2014, com a cidade argentina de Rosário a assistir à largada, a 5 de Janeiro, terminando a prova a 18, em Valparaíso, no Chile.

"Pela primeira vez, os concorrentes têm os seus acampamentos em dois países diferentes ao mesmo tempo em certos momentos da edição de 2014. As motos e os 'quads' estão na Bolívia, enquanto os automóveis e os camiões estão na fronteira entre o Chile e a Argentina", disse o director da prova, Etienne Lavigne.
O responsável referiu que apenas as motos e os 'quads' vão visitar a Bolívia, na região de Potosi, no qual se encontra o deserto salgado de Uyuni, um dos maiores do género a nível mundial.

Esta é a sexta edição do mais importante rali de todo-o-terreno a realizar-se na América do Sul, depois de ter deixado, por motivos de segurança, o tradicional percurso em África.