Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

rbitros so capacitados na Hula

Gaud?ncio Hamelay,Lubango - 20 de Fevereiro, 2017

Taekwon-D da Hula, terminou com xito no sbado, no Lubango.

Fotografia: Jornal dos Desportos

O curso de actualização e refrescamento de  novas regras de arbitragem, na modalidade de taekwon - dó, dirigido a 22 árbitros huilanos, realizou-se de 13 a 18 do corrente mês, sob égide da Associação Provincial de Taekwon-Dó da Huíla, terminou com êxito no sábado, no Lubango.

David Lelo, secretário-geral da Associação de Taekwon-Dó da Huíla, destacou que a formação teve por objectivo capacitar os antigos árbitros, e formar outros novos que vão transmitir  conhecimentos nas academias e aos atletas, para a aplicação das regras da competição, conforme exige a Federação Mundial de Taekwon-Dó (WTF).

 Explicou, que como houve algumas alterações a nível da Federação Mundial de Taekwon - Dó (WTF em sigla inglesa), aplicadas actualmente nesta arte marcial, a Associação local também não perdeu a linhagem de todas as actividades de taekwon -dó. Por este facto, entendeu capacitar os juízes antigos e também formar novos árbitros, com o objectivo de melhorar o nível de actuação, assim como aumentar o número de juízes.

O dirigente referiu que essa alteração verificou-se no pretérito dia 30 de Outubro de 2014, daí o Conselho de arbitragem da Associação de taekwon - dó local estar apenas agora a levar a cabo a todos os praticantes, os atletas, técnicos das academias, e pessoas singulares que querem fazer parte da lista de arbitragem desta arte, para as mudanças através de realizações de acções de refrescamento.

 David Lelo sublinhou, que com a utilização do protector electrónico em competições nacionais e internacionais, urge a necessidade de acompanhar de perto a dinâmica em curso, a nível dos taekwandistas mundiais.

“O taekwon - dó está a registar muitas alterações e dinâmica. Agora, com o surgimento do protector electrónico, já não é preciso mais o árbitro apontar como fazíamos antigamente com os papéis. Tem o próprio protector electrónico. Assim, bastou o atleta fazer o ponto e o protector electrónico assinala, automaticamente, no ecrã. E, também temos apenas um árbitro que pode aumentar pontos na cabeça, porque os pontos que são feitos a nível da cabeça não tem sensores para sinalizar”, clarificou.

Avançou, que o árbitro tem simplesmente de apertar, para actualizar os pontos da cabeça, senão os pontos que dizem respeito a parte do tórax, são pontualizados de uma forma automática.

“Por isso, o objectivo fulcral desta acção de formação, consiste, simplesmente, em melhorar o nível e a qualidade de actuação dos nossos filiados, para actuar nas provas programadas para a época desportiva de 2017”, frisou. O secretário-geral da Associação de taekwon - dó da Huíla, afirmou que dos 22 árbitros participantes na acção formativa, sete são novos.
GH - Lubango