Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Realadas qualidades de Rafael Nadal

11 de Abril, 2019

Rafael Nadal o mais eficiente tenista em quadras de saibro da histria do circuito de tnis masculino

Fotografia: Dr

O espanhol Rafael Nadal é sem dúvidas, o mais eficiente tenista, em quadras de saibro da história do circuito masculino de ténis. Detentor de nada menos de 57 títulos no piso, incluindo 11 troféus em Roland Garros, é considerado o homem a ser batido, anos após ano.
O que explica tal sucesso? As respostas para o mistério são diversas, mas segundo um levantamento da ATP Tour,  feito por Craig O\'Shannessy, membro da equipa do sérvio Novak Djokovic, um dos motivos está no estilo de devolução dos serviços dos adversários, caracterizado pelo posicionamento bem atrás das linhas de saque.
" É uma estratégia extrema, que outros jogadores raramente empregam no mesmo grau, mas faz maravilhas para o espanhol\", começa a matéria que para adquirir os dados do estudo, analisou 20 partidas do número 2 do mundo, no piso entre 2017 e 2018. No período, o canhoto de 33 anos venceu 18 e perdeu apenas duas, ambas para o austríaco Dominic Thiem, outro jogador que se especializou neste tipo de defesa.
O primeiro dos motivadores, do tamanho sucesso de Nadal com esse golpe, está no maior número de devoluções dentro da quadra, que ele é capaz de pôr em relação a seus adversários. "Quando Nadal joga atrás, o saque, naturalmente, chega mais lento do que para os tenistas que devolvem perto da linha de base. Nadal consegue fazer contacto com a bola a uma altura menor. Tudo isso, resulta em mais retornos dentro da quadra\", diz o texto. Rafa devolveu 84,1 por cento dos saques feitos com o primeiro serviço, contra 79,4 por cento dos oponentes. O segundo saque apresentou 90 por cento para o espanhol e 85,2 por cento para os adversários.
Com mais bolas devolvidas, Nadal utiliza uma táctica interessante. Após mandar a bola de volta ao adversário,  parte logo de seguida para a linha de base, de onde consegue atacar com mais eficiência. Deste modo, consegue vencer mais pontos nos serviços dos adversários e assim conseguir mais quebras.
No período de 20 partidas analisadas, Rafa venceu 44,7 por cento dos pontos disputados com os saques dos adversários, muito acima dos 31,1 por  cento alcançados por estes. No segundo serviço, a diferença também é gritante, com 52,4 por cento de bolas ganhas pelo jogador de Maiorca, contra 33,2 por cento dos oponentes.
O'Shannessy aponta, entretanto, que a táctica não deve ser necessariamente seguida por outros jogadores,  cada tenista pode ter as suas peculiaridades físicas e técnicas. "A beleza do nosso desporto é que existem muitas maneiras diferentes de ser bem-sucedido, e o que funciona incrivelmente bem para um jogador,  pode não ser uma boa opção para outro", finaliza