Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Red Bull com novo motor

20 de Junho, 2018

A Red Bull tem monitorado o desenvolvimento da Honda.

Fotografia: AFP

A direcção da Red Bull confirmou, que não irá mais utilizar os motores Renault a favor aos Honda, para a próxima temporada. A mudança foi anunciada ontem, o que coloca um fim a uma parceria de 12 anos entre a Red Bull e a Renault, que já rendeu 57 vitórias e quatro títulos mundiais duplos (ou seja, de pilotos e construtores), entre 2010 e 2013.
O Chefe da equipa Red Bull, Christian Horner, afirmou que a troca estava a ser feita, porque daria à Red Bull a melhor possibilidade de lutar por títulos novamente. “O acordo de vários anos com a Honda, sinaliza o começo de uma nova e empolgante fase para os esforços da Aston Martin Red Bull Racing para competir não só por vitórias, mas também por aquilo que é sempre nossa meta: títulos”, disse.
“Sempre tomamos decisões como essa sem passionalidade, com um único critério em mente: acreditamos que o resultado nos permitirá competir no nível mais alto. Depois de considerações cuidadosas, estamos certos de que essa parceria com a Honda é a direcção certa para a equipa.” Acrescentou.
A Red Bull tem monitorado o desenvolvimento da Honda, desde que a Toro Rosso substituiu a McLaren como única equipa com os motores japoneses para este ano. “Estamos impressionados com o comprometimento da Honda com a F1, com os passos rápidos que eles deram nos tempos recentes com a nossa equipa irmã, a Scuderia Toro Rosso, e pelo escopo das suas ambições, que casam com as nossas próprias”. disse Horner.
A Toro Rosso também vai continuar a utilizar os motores Honda, o que dá à fabricante japonesa, pela primeira vez desde que retornou à F1, duas equipas para trabalhar. Isso não acontecia desde 2008, quando ela tinha a sua equipa oficial e também cedia motores à Super Aguri.
Presidente de motores da Honda, Takahiro Hachigo disse: “Ter duas equipas significa que podemos ter acesso ao dobro de dados, que tínhamos anteriormente. Acreditamos que trabalhar com Toro Rosso e Red Bull nos permitirá ficar mais próximos da nossa meta de vencer corridas e campeonatos, construindo duas parcerias fortes. As discussões ocorreram muito rapidamente, graças à postura aberta e respeitosa da Red Bull, o que fez com que o acordo fosse alcançado de forma justa para ambas as partes.”
A relação entre Red Bull e Renault ficou gradativamente mais tensa nos anos, após os títulos juntos, já que a fabricante francesa se mostrou incapaz de bater de frente com Ferrari e Mercedes, na actual era híbrida da F1.  “Gostaríamos de agradecer à Renault pelos últimos 12 anos, período no qual tivemos momentos incríveis juntos”, disse.
Um comunicado da Renault disse: “Dois anos após o regresso da Renault como equipa de fábrica, consideramos que esta seja a evolução natural da Renault e Red Bull, pelas  suas respectivas aspirações. Estamos totalmente focados no progresso forte do Renault Sport Formula 1 Team, enquanto continuamos a alimentar a relação recente com a McLaren Racing.”