Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Red Bull est beira de sair da Frmula 1

14 de Outubro, 2015

Com medo de tornar de novo a escuderia uma potncia Ferrari e Mercedes vem com maus olhos o fecho de contrato

Fotografia: AFP

A Red Bull está a viver dificuldades para permanecer na Fórmula 1 no próximo ano. Após romper um contrato com a Renault, marca que fornecia os motores para a equipa, mesmo a faltar um ano para o fim da parceria,  a escuderia tetracampeã mundial procura uma nova marca que possa colaborar com os austríacos para o motor de 2016.

As duas principais concorrentes são justamente quem poderia ajudar a Red Bull. Entretanto, com medo de tornar a escuderia uma potência novamente, Ferrari e Mercedes não veem com bons olhos fechar um contrato com a Red Bull para ceder motores. Com isso, a equipa corre contra o tempo para resolver o quanto antes a situação.

“Nós possivelmente poderemos ser foçados a se retirarmo-nos da Fórmula 1. Mercedes e Ferrari declinaram em ceder motores para nós por medo. Infelizmente a nossa relação com a Renault está em estado terminal. Há muito de um casamento em separação no nosso relacionamento, então não temos motor”, disse Adrian Newey, director técnico da Red Bull.

Newey ainda ressaltou que a Red Bull não aceitará permanecer na Fórmula 1 apenas para fazer número no grid da categoria, por isso procura urgentemente um motor de qualidade que possa fazer a equipa voltar a lutar pelas primeiras posições nos Grandes Prémios da próxima temporada: “A Red Bull não deve permanecer numa posição no grid apenas para fazer número”.

Por fim, o chefão da equipa quatro vezes campeã mundial com Sebastian Vettel recomendou que a Fórmula 1 poderia ser uma categoria mais equilibrada no automobilismo, com menor disparidade dos motores de cada escuderia, o que tornaria a competição mais atraente.“Dentro do regulamento os motores podem ser mais balanceados, então haveria menos disparidade na performance de cada carro, mas a FIA não mostra estar disposta a fazer isso. Nós precisamos de voltar para a posição onde todas as equipas possuem acesso a um motor que está com um óptimo rendimento ou perto disso”.