Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Red Bull lamenta excesso de erros

13 de Outubro, 2018

Piloto alemo tem cometido muitos erros na presente poca desportiva.

Fotografia: DR

Helmut Marko acreditava que Sebastian Vettel seria o grande campeão da temporada 2018, mas já viu as suas apostas caírem por terra, antes mesmo do final da temporada. O consultor da Red Bull lamentou o facto, ressaltando a grande quantidade de erros que o alemão tem cometido.
Com quatro corridas restantes no calendário, Lewis Hamilton sustenta uma confortável vantagem de 67 pontos, na liderança da classificação. Face a estes números, pode conquistar o título já na próxima etapa, em Austin.
“Apostava em Vettel como favorito pelo título, mas cometeu muitos erros que me chatearam. Agora, Vettel já não tem direito de errar mais, mas mesmo que não cometa nenhum, vai ser difícil ganhar o campeonato”, disse em entrevista ao canal austríaco ‘Laola1’.
O dirigente da equipa das bebidas energéticas, ressaltou ainda que parte dos problemas do número 5, foram causados por más decisões tomadas pela Ferrari. “Estou também surpreso pelo que fez a Ferrari”, disse.
“Quando vê que a Mercedes confia em Hamilton, por que não trocar Kimi e Sebastian, como poderiam ter feito na Áustria? Ou porque na classificação não deixaram Räikkönen sair antes que Sebastian, como poderiam ter feito em Monza?”, encerrou

MERCEDES ACREDITA
EM NOVAS EQUIPAS

A F1 vai passar por uma mudança nas regras aerodinâmicas, para a temporada 2019. Com isso em conta, o director-executivo da Mercedes acredita na possibilidade de o campeonato observar o crescimento de outras equipas, na disputa por vitórias.  Toto Wolff considerou o facto do padrão que a Mercedes - que caminha para o quinto título consecutivo de Construtores - tem seguido nos últimos anos, não vai existir mais. Desta forma, qualquer fábrica que encontrar uma forma de levar vantagem no regulamento vindouro, pode saltar na liderança.
A partir do ano que vem, os carros vão contar com asas dianteiras de 200 mm de espessura e 25 mm de profundidade, um projeto mais simples que o atual e que tem como objectivo a maior facilidade para ultrapassar. Uns dutos de frenagem também vão ser simplificados. As mudanças foram confirmadas no último mês de Julho.
\"Creio que o maior impacto será do completamente novo regulamento aerodinâmico. Isso vai mudar tudo. Alguém pode encontrar uma brecha nas regras ou uma inovação ou compreensão, de como esses carros funcionam antes dos rivais\", afirmou.
“Há uma grande variável nessas regras para o ano que vem, talvez dê até para outras equipas, que não estão no radar, aparecerem entre os primeiros”, seguiu.
Questionado sobre a possibilidade de a Red Bull sair na frente, por utilizar o motor Honda, assentiu a preocupação. Afinal, sem muitos dos vícios actuais, a Honda começa do zero.
\"Sim, pode ser, porque não há mais um padrão. Não há mais uma equipa que domina um tipo específico de circuito. Mudou, e o motor da Honda certamente parece poderoso agora. Além disso, a Red Bull tem um grupo poderoso de pilotos”, encerrou.
Antes que 2019 chegue, a temporada segue com etapas no México, Estados Unidos, Brasil e Abu Dhabi.