Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Reduo de dias de testes no satisfaz algumas equipas

22 de Fevereiro, 2020

A Fórmula 1 diminuiu o período de testes da pré-temporada para seis dias neste ano, mas algumas equipas já estão a perguntar se menos seria ainda melhor. A quarta-feira não foi interrompida por bandeiras vermelhas, e todas as 10 equipas deram ao menos 100 voltas do Circuito da Catalunha.
Max Verstappen, da Red Bull, deu 168 voltas nesse primeiro dia de testes, mais de três vezes o percurso da pista do Grande Prémio da Espanha.
“Eu teria feito quatro (dias), para ser sincero”, disse o director técnico da Racing Point, Andy Green, aos repórteres nesta quinta-feira.
“Sempre fico feliz em diminuir o tempo de testes. Acho que combina com o que a F1 quer, no tocante a tentar misturar as coisas. Será que todos querem carros ultra confiáveis quando chegam para a primeira corrida”? “Uma semana, para mim, está óptimo... dois dias sim, um não, dois dias. Façam e vejam o que acontece”.
A F1 quer uma igualdade de condições, tornando as corridas mais competitivas e emocionantes e os testes extensos permitem às equipes solucionar problemas iniciais antes de os carros irem para as pistas.
O chefe de equipa da Red Bull, Christian Horner, disse que o número de voltas de Verstappen foi o maior que a escuderia já fez em Barcelona no primeiro dia de testes.
“Quase esgotamos o piloto”, disse ele, rindo quando indagado se seis dias são demais. “Três dias para um piloto na verdade não são nada, quando você pensa nisso, começando uma campanha de campeonato de 21 ou 22 corridas”.
“Ontem pareceu um dia longo, talvez a sessão não precise ir até as seis da tarde. Talvez cinco tivesse bastado. Mas acho que demonstra como esses carros são confiáveis”.
“É claro, quanto menos testes você faz, mais imprevisíveis as primeiras corridas se tornarão, então existe um argumento para dizer \'sim, talvez possamos reduzir ainda mais”. Mas Horner ponderou que só um teste de três dias seria “bastante desafiador” para os pilotos e favoreceria os mais experientes do «grid».
Neste ano a F1 está a realizar os testes em Barcelona, onde os adeptos podem assisti-los, mas os que estão em casa podem acompanhá-los graças à cobertura maior das emissoras, incluindo a televisão da F1.