Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Renault e Lotus acordam fuso

09 de Dezembro, 2010

Lotus Renault a designao da nova escuderia que augura sucesso em 2011

Fotografia: AFP

O grupo Lotus, que esteve na Fórmula 1 em 2010, após uma ausência de 16 anos, anunciou há alguns meses a fusão com a Renault para a temporada 2011, formando uma nova equipa, a Lotus Renault. Ontem, quarta-feira, a nova equipa divulgou o plano do novo carro e alguns detalhes da parceria com os franceses. A Renault decidiu tentar não influir na produção dos carros, sendo apenas a fornecedora de motores dos monopostos. As cores da escuderia, no entanto, são o preto e o dourado. A fusão vaidurar pelo menos até à temporada 2017, com a equipa francesa como responsável por gerar motores ao longo dos anos.

O presidente da equipa Renault de Fórmula 1, Gerard Lopez, mostrou estar contente com a nova medida tomada pela sua agremiação para as próximas temporadas da categoria. “É óptimo começar uma nova era para a equipa com a parceria com a Lotus, e continuaremos a ter forte contacto com a Renault (fábrica) ao longo das temporadas. É um tributo ao óptimo trabalho realizado este ano pela equipa, que atraiu mais patrocinadores e investimentos para garantir um futuro brilhante”, contou.

O director do Grupo Lotus, Danny Bahar, foi ainda mais longe ao elogiar a parceria. Ele acredita que “não há melhor plataforma de comunicação da marca e a F1 representa o auge das corridas de monopostos”. “Estamos cientes que tem existido muita controvérsia em torno do uso da nossa marca na F1, e estou muito contente em poder tornar clara a nossa posição: estamos de volta à Fórmula 1”, comemorou.

Williams pede a Barrichelo para emagrecer

A volta do Sistema de Recuperação de Energia Cinética (Kers, em inglês) à Fórmula 1 em 2011 deve obrigar Rubens Barrichello a perder peso. É o que admitiu o próprio piloto da Williams, de acordo com a revista alemã “Speedweek”. Segundo a publicação, Barrichello teria conversado com os engenheiros da equipa, que lhe teriam pedido para perder alguns quilos. Assim, a adaptação do carro ao sistema seria mais fácil.

A Williams trabalha no desenvolvimento da bateria que vai utilizar no seu carro no próximo ano. De acordo com Sam Michael, director técnico da escuderia inglesa, a peça vem sendo produzida pelos próprios engenheiros da equipa, com poucos componentes terceirizados adquiridos. O Kers, que recupera energia nas travagens para dar um impulso extra aos carros, foi implantado na Fórmula 1 em 2009 e volta à categoria em 2011. Calcula-se que o peso total do sistema chegue a 25 kg no carros.