Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Resgate o principal problema

04 de Julho, 2018

O problema das 12 crianas tailandesas e o seu treinador prende-se com a forma como sero resgatadas

Fotografia: Dr

O principal problema para as 12 crianças tailandesas e o seu treinador de futebol, presas desde Junho numa gruta que visitavam, depois de uma partida de futebol, prende-se com a forma como serão resgatadas.
Depois do alívio que se seguiu com a sua descoberta, com vida, a forma como serão tiradas da caverna é o grande dilema das autoridades neste momento. As crianças e o treinador estão a quatro quilómetros da entrada da gruta, num percurso que implica mergulhar e nadar contra a corrente e caminhar em zonas muito estreitas e que demorara seis horas a fazer por militares treinados. Nenhum deles sabe nadar, estão enfraquecidos, depois de nove dias sem comer, e as autoridades ainda estão a estudar formas de os trazer à superfície de forma segura.
De imediato existem duas opções, resgatar já o grupo ou esperar que as águas baixem, o que pode acontecer só daqui a quatro meses, quando terminar a época das monções. O ministro do interior tailandês, Anupong Paojinda, falou ao Bangkok Post e disse que agora é o momento para retirar o grupo de dentro da gruta.
Aproveitando uma melhoria no estado do tempo e antes que as chuvas regressem, o que está previsto para os próximos dias.
Para tal, as equipas de resgate - onde se incluem militares norte-americanos e mergulhadores britânicos -, vão continuar a retirar água da primeira gruta, para evitar, ao máximo, que as crianças tenham de mergulhar, já que não sabem nadar. Entretanto, no Twitter foi lançado um apelo das autoridades para a doação de 15 máscaras pequenas, uma vez que as máscaras que as equipas têm são de tamanho médio e demasiado grandes para as crianças.
Os rapazes, de 11 a 16 anos, e o seu técnico, de 25 anos, entraram na caverna Tham Luang Nang Non, depois de um jogo de futebol no dia 23 de Junho, mas chuvas quase constantes desde então, impediram as operações de resgate.
A gruta onde estão presos é um dos maiores complexos da Tailândia. Tem 10 quilómetros de cumprimento - o grupo foi encontrado a quatro quilómetros da entrada da gruta - e o caminho que as crianças precisam de fazer para chegar à superfície, tem passagens estreitas e envolve mergulhar em alguns momentos.