Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ribeiro e Carlos lutam pelo ttulo

Helder Jeremias - 11 de Outubro, 2018

Campeo provincial de Luanda conhecido no Dia da Dipanda

Fotografia: Jornal dos Desportos

Separados por 11 pontos na tabela de classificação, Orlando Ribeiro e Humba Carlos atraem as atenções da última jornada da categoria 150cc do Campeonato Provincial de Luanda de Motocross. Os dois pilotos entram para o circuito Jorge Varela, no próximo dia 11 de Novembro, no quadro do 43º aniversário da independência nacional, com 199 e 188 pontos.
A margem mínima de pontos, que separa os pilotos do Team Dinamith e do Team Moto Service ideal, mormente, Orlando Ribeiro e Humba Carlos, é um tónico que pode levar muitos adeptos e espectadores ao bairro do Gamek.
Para o sucesso na empreitada, Orlando Ribeiro e Humba Carlos efectuam um rigoroso programa de preparação física e mental. O primeiro colecciona duas vitórias, dois segundos lugares, um terceiro e uma sexta posição. O segundo soma quatro vitórias e um segundo lugar, que potenciam a esperança de alcançar o título.
Outro candidato ao título tem o nome de Cacau Talaia. O piloto do Motor Service Ideal soma 170 pontos na conta pessoal, resultantes de três segundos lugares, um terceiro, quarto e quinto lugares. Uma vitória, sem a concorrência directa dos dois primeiros classificados, o troféu vai brilhar na galeria da equipa Motor Service Ideal.
Para evitar a fuga do título, o Team Dinamith está empenhada na projecção da sétima jornada. A equipa de Viana pretende levar a dobradinha ao município, depois da revalidação do título na categoria 250cc por intermédio do namibiano Ruhan Gous. Rui Moreira, director - geral do clube, garantiu a presença dos dois pilotos. As condições administrativas e técnicas estão criadas.

MOTO 4
Ferreira com saldo negativo em 2018

A uma jornada do término do Campeonato Provincial de Luanda, a época 2018 é a menos produtiva no historial de Bruno Ferreira. O piloto do Team Edgar Racing atravessou uma sequência de problemas técnicos na categoria 450cc (moto 4).
Considerado um dos pilotos mais dotados tecnicamente, Bruno Ferreira almejava fazer uma época em grande estilo em função do contrato celebrado com a nova equipa. Por ironia do destino, a pretensão tem sido gorada desde o início da competição a 24 de Abril. Estreou-se com um sexto lugar.
No Grande Prémio da Paz, pontuável para a segunda jornada, quedou-se na quinta posição. Na terceira e quarta jornadas não pontuou, devido a avarias técnicas. O melhor desempenho ocorreu a 14 de Julho, no circuito do Kilamba. Bruno Ferreira esteve próximo do pódio, pela primeira vez: classificou-se em quarto lugar.
Aos comandos da KTM250, Bruno Ferreira voltou a sofrer problemas técnicos na sexta jornada, disputada no circuito Jorge Varela, e foi desqualificado.
A menos de 31 dias da sétima e última jornada, prevista para o dia 11 de Novembro, Bruno Ferreira trabalha com acutilância, ao mesmo tempo que a equipa técnica procura dotar de boa confiabilidade a moto. A equipa aspira subir ao pódio.
Edson Sebastião, do Team Cazenga, lidera com 197 pontos, seguido de Edson Miranda (Team Orbel - 172), Leonardo Gonçalves (Team Del Santos Canil), Carlos Alberto (Team 12 Discípulos), Pety Santos (individual), Becas Félix, Edson Santos (Team Bafura), Bruno Ferreira (Team Edgar Racing), Fernando Santos (12 Discípulos) e os individuais Hélder Gonçalves, Paulo Trindade, Ricardo Ferreira e Aníbal Almeida.

MOTOGP
Italiano condenado por morte de Hayden

     
Um cidadão italiano foi condenado ontem a um ano de prisão com pena suspensa e ao pagamento de despesas do processo por atropelamento que resultou na morte do campeão de MotoGP, Nicky Hayden, em Misano Adriatico, em Maio de 2017.
A sentença foi imposta pelo Tribunal de Rimini, após um julgamento com "rito abreviado", ou seja, quando o réu dispensa a apresentação de testemunhas de defesa para garantir uma redução da pena.
O italiano de 31 anos, que até ontem não teve o  nome divulgado oficialmente, também, teve a  carta de condução apreendida.
A família de Hayden pede uma indemnização de seis milhões de euros, mas a causa vai ser julgada por um tribunal cível.
O motociclista australiano andava de bicicleta em Misano, Adriático, quando foi atingido em cheio pelo veículo do réu, num cruzamento, em 17 de Maio de 2017.
Hayden chegou a ficar internado na UTI, mas não resistiu aos ferimentos no abdómen e no crânio. O australiano foi campeão da MotoGP, em 2006, além de ter conquistado três vitórias e 28 pódios em 13 épocas,  na categoria.