Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rio inicia construo do veldromo

01 de Março, 2014

A construo de um veldromo olmpico no Rio de Janeiro, com vista aos Jogos de 2016

Fotografia: AFP

Avaliado em 68,4 milhões de dólares, o velódromo não inclui a pista de madeira e a compra foi entregue ao Comité Organizador Local dos Jogos. A finalização da obra está prevista para o segundo semestre de 2015.

Com o apoio do Ministério dos Desportos do Brasil, a empresa Tecnosolo Serviços de Engenharia S.A. foi a vencedora da licitação em Janeiro do ano corrente e é a responsável pela construção através da Empresa Municipal de Urbanização (RioUrbe) e da Empresa Olímpica Municipal (EOM).  O edital de licitação do velódromo foi lançado em Setembro de 2013 pela RioUrbe e seis empresas mostraram interesse. No final do processo, apenas duas, a Tecnosolo e o Consórcio Andrade Valadares/Topus, foram classificadas para participar da etapa final da concorrência.

A Tecnosolo venceu a disputa ao apresentar o menor orçamento: 56,4 milhões de dólares para as obras e 2,9 milhões de dólares para a operação, cerca de 9 milhões a menos que o estipulado no edital licitatório.

Ao contrário de outras instalações do Parque Olímpico, onde o aparelho está a ser construído, o velódromo vai ser permanente e vai ter a capacidade para cinco mil assentos fixos e área disponível para até 800 lugares provisórios ou flexibilidade para outras configurações da arena.

O Velódromo Olímpico está a ser construído em terreno municipal por meio de cooperação entre o Governo Federal e a Administração local. A União aporta os recursos para as quatro instalações do Parque Olímpico que não fazem parte da Parceria Público-Privada licitada em Março de 2012: Centro de Ténis, Centro Aquático, Arena de Andebol e Velódromo.

Após os Jogos, a instalação vai integrar o Centro Olímpico de Treinos, voltado para atletas de alto rendimento,  o principal legado desportivo do evento para a cidade e o Brasil. O Centro Olímpico de Treino também vai ser formado pelo Parque Aquático Maria Lenk, três pavilhões desportivos e a parte permanente do Centro de Ténis.

Conforme  o Portal Transparência do Governo Federal e o Dossier de Candidatura, as obras do aparelho olímpico deviam ter começado em 2013, mas somente em Fevereiro iniciou a primeira etapa. Essa fase inclui a montagem do canteiro de obras e a execução das fundações.

Ainda de acordo com o site do governo brasileiro, o custo estimado era de 35 milhões de dólares, pagos pela Administração do Rio de Janeiro às construções permanentes e as construções temporárias ficavam  a cargo do Comité Organizador Rio'2016, ao custo de 4,5 milhões de dólares, já que as instalações construídas para o Pan-Americanos'2007 deviam ser  aproveitadas e somente uma reforma podia ser  realizada.