Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Robin Frijns abandona Caterham

17 de Dezembro, 2014

O piloto holandês terminou o contrato com a equipa na última segunda-feira

A situação torna quase inviável a participação da equipa no campeonato de Fórmula 1. Robin Frijns, piloto de testes em 2014, deixou a equipa na última segunda-feira.

O holandês tinha contrato válido até a última segunda-feira. A falta de investidor e sem dinheiro em caixa impediram a prorrogação do contrato. Robin Frjins acabou liberado ao fim do acordo firmado com a Caterham.

“Gostaria de agradecer e dizer adeus a todas as pessoas na Caterham, com quem trabalhei nos últimos 12 meses. Manterei os meus dedos cruzados e torcerei pelo futuro da equipa na Fórmula 1”, declarou o holandês de 23 anos.
Robin Frijns, sem perspectiva dentro da categoria máxima do automobilismo, recentemente participou de testes da DTM com a BMW em Jerez de la Frontera, em Espanha.

GUTIÉRREZ PILOTA
FERRARI EM 2015

O mexicano de Fórmula 1, Esteban Gutiérrez (ex-Sauber), vai ser em 2015, o piloto de testes e de suplente da Ferrari, anunciou em comunicado a equipa italiana. “Confirmo a nossa total confiança num conjunto de pilotos formidáveis e estou feliz por receber Esteban Gutiérrez. É jovem, mas tem muita experiência com a nova geração de F1. Vai ter uma contribuição significativa para o trabalho de desenvolvimento de toda a equipa no simulador”, disse o director geral da principal equipa da Ferrari, Maurizio Arrivabene.

Gutiérrez representou a Sauber durante duas épocas (2013 e 2014). Obteve o seu melhor resultado no Grande Prémio do Japão (sétimo lugar), em 2013, num total 38 corridas disputadas.

FERRARI
Fernando Alonso
vê forte a ex-equip
a

Fernando Alonso pode ter trocado a Ferrari pela McLaren, mas defende que a sua equipa  vai estar forte na próxima época, mesmo depois de viver a sua pior época em mais de 20 anos, em 2014. A equipa só conquistou dois pódios, ambos com o piloto espanhol,  viveu a sua primeira época sem vitórias desde 1993.
Mas o bicampeão acredita que a equipa pode recuperar-se, com a melhoria da unidade de potência, um dos pontos fracos do carro de 2014, que só pode ser actualizada entre uma época e outra e o primeiro chassi com a coordenação técnica de James Allison.

“Do lado de fora vai ser difícil julgar como a Ferrari vai estar, mas têm pessoas talentosas, têm os recursos e têm a motivação de todos na equipa. Vão vencer algum dia”, defendeu Alonso, que pilotou por cinco épocas.

“O que lhes faltou nestes cinco anos é só um pouco de performance no carro e os recursos técnicos em si. Não estiveram ao nível mais alto em alguns aspectos do carro. Inicialmente na aerodinâmica e na unidade de potência, agora. Mas têm orçamento. Em 2015 vão ser favoritos, porque toda a época a Ferrari começa como favorita”.