Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rosberg admite pressão

30 de Novembro, 2016

Nico Rosberg também elogiou o companheiro de equipa

Fotografia: AFP

O recém-coroado campeão mundial de F1, Nico Rosberg, admitiu que a pressão de lutar pelo título com Lewis hamilton o deixou mais lento nas corridas finais da época\'2016. A última vitória no campeonato aconteceu no Japão, no início de Outubro, quando abriu 33 pontos de vantagem sobre o rival inglês.

Depois de Suzuka, Nico Rosberg não conseguiu mais igualar o desempenho de Hamilton, que, após o abandono na Malásia por uma quebra do motor da Mercedes, venceu as quatro corridas seguintes: EUA, México, Brasil e Abu Dhabi, a proba que decidiu a taça a favor do filho de Keke Rosberg. O britânico ainda fechou o campeonato com dez vitórias e a cinco pontos de Nico, que fez o suficiente para garantir a taça em Yas Marina ao cruzar a linha de chegada na segunda classificação.

\"Foi a minha melhor época na F1 e, definitivamente, foi o ano em que fiz as minhas melhores corridas\", afirmou o piloto da Mercedes, que ganhou nove vezes e teve apenas um abandono nas 21 corridas do campeonato.

Nico Rosberg sustentou que nas últimas corridas, especialmente a última, não \"viram o Nico Real\". \"A pressão te deixa mais lento, é difícil. Por isso, estou contente com a maneira que lidei com isso. Lewis, por outro lado, não tinha nada a perder\", disse. O desempenho do rival também foi lembrado pelo novo campeão.

\"As corridas finais viram o melhor Lewis que já vimos, porque não tinha nenhuma pressão. Estava bastante motivado, muito concentrado e trabalhava mais do que nunca, porque realmente não tinha nada a perder\", explicou.

O alemão acrescentou que \"tinha toda a pressão do seu lado\" e \"correr contra Lewis tornou tudo mais difícil\". Por isso, \"de novo, fico contente com a maneira como tudo aconteceu\".

Por fim, Nico Rosberg também se disse especialmente feliz por ter visto a estratégia adoptada desde o começo do ano dar certo. O alemão optou por encarar o desafio em 2016 a pensar corrida a corrida, sem se preocupar com a disputa do campeonato em si.
\"A cabeça é uma parte importante deste desporto, então me concentrei nisso. Para mim, isso pareceu o caminho mais correcto\", frisou.

Nico Rosberg sustentou que \"se pensar muito sobre o quadro geral, então vai ficar cada vez mais nervoso\". \"Há tanta coisa em jogo e o desejo de ser campeão pesa muito nos ombros. Para mim, manter tudo simples funcionou muito bem\", destacou.

O jovem campeão disse que \"depois de vencer todas aquelas corridas (no início do ano), tornou-se claro que seria completamente errado começar a pensar no campeonato mundial\".
\"Tenho Lewis Hamilton como companheiro de equipa. Sempre vai lutar e é alguém muito difícil de superar\", encerrou.

FÓRMULA 1
Keke Rosberg ausente no título do filho


Apesar de ser comum, os familiares dos pilotos da Fórmula 1 acompanharem as corridas – especialmente aquelas que decidem o título – de dentro dos circuitos, o pai de Nico Rosberg preferiu assistir o  filho tornar-secampeão mundial de 2016, de longe. Keke Rosberg, ex-piloto e que em 1982 também facturou a temporada da F1, revelou ter visto a prova decisiva em Dubai, chegou ao autódromo em Yas Marina só após a conclusão da corrida. Desde que Nico ascendeu como um dos principais nomes da Fórmula 1, Keke Rosberg  adoptou uma postura discreta, com poucas aparições públicas, e frequentemente recusa-se a conversar com a media.

A decisão de não estar em Yas Marina, durante os três dias do final da semana entre os treinos e realização da prova, foi discutida com Nico, anteriormente. Keke acredita que ia ter dificuldade em lidar com o assédio da imprensa, e preferiu ficar afastado.