Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rosberg estreia "pole" de Baku

19 de Junho, 2016

Nico Rosberg pode cimentar hoje a liderança do campeonato mundial de pilotos a decorrer na pista urbana da capital de Azerbaijão

Fotografia: AFP

Para a história da Fórmula 1, mais um registo: Nico Rosberg conquistou ontem a primeira pole position do Grande Prémio da Europa, que se estreia hoje no circuito citadino de Baku. O piloto da Mercedes confirmou o favoritismo atribuído à equipa alemã nas ruas estreitas da capital de Azerbaijão.

Com muita calma, Nico Rosberg respondeu no Q3 a Lewis Hamilton, que havia dominado as sessões de treino livres. Essa é a forma encontrada para reagir no campeonato mundial, depois de duas vitórias consecutivas de Hamilton na época. Pela terceira vez na época, Nico Rosberg larga da posição de honra da grelha e soma a 25ª da carreira.

Para facilitar a corrida de hoje, o alemão contou com um grande erro do principal adversário. Lewis Hamilton não terminou a última tentativa da volta por quebrar a roda esquerda na curva 11, num momento em que vinha em alta velocidade. Por conta da falha, o britânico larga da décima posição.

Hoje, Nico Rosberg tem a oportunidade de voltar a impor-se na época. Com pneus super-macios, estabeleceu o melhor tempo: 1m42s758. Sem a presença de Hamilton por perto, Rosberg vai contar com a pressão de Daniel Ricciardo, da Red Bull, e de Sebastian Vettel, da Ferrari na primeira fila.

Sergio Perez estabeleceu o segundo melhor tempo, mas vai largar em sétimo em consequência da troca da alavanca de mudança. O piloto da Force India foi punido a perda de cinco lugares na grelha.

Na corrida de hoje, os amantes da F1 testemunham o melhor da Mercedes. Depois de Nico Rosberg ter largado mal em Monaco e caiu para a décima posição, na recta final da prova testemunhou-se a força da equipa alemã. Na mesma situação está Lewis Hamilton. O britânico já protagonizou situação igual no passado e terminou no pódio. Em Baku, a história pode repetir-se até porque os acidentes não vão faltar face às ruas estreitas.

A estratégia da Mercedes e a destreza de Hamilton vão ser determinantes para o sucesso no GP da Europa. O britânico deve evitar os erros nas voltas rápidas e controlar a curva 15. Ontem, nas sessões de qualificação, errou nesse sector e teve a sorte de não sofrer uma batida.

A velocidade das Mercedes no circuito Azeri dá garantia a Lewis Hamilton superar Daniil Kvyat (Toro Rosso-Ferrari), Felipe Massa (Williams-Mercedes), Kimi Raikkonen (Ferrari-Ferrari), Sebastian Vettel (Ferrari-Ferrari), Daniel Ricciardo (Red Bull-TAG Heuer) e Sergio Perez (Force India-Mercedes).

A grande "guerra" de Lewis Hamilton vai ser travada com Nico Rosberg. A acontecer uma vitória para o britânico, o mundo vai voltar a render-se aos pés do tricampeão.


REVELAÇÃO

Hamilton disputa para limitar danos


Embora não tenha sido um dos críticos do circuito de Baku, Lewis Hamilton não se entendeu completamente com a pista citadina de Azerbaijão.

Ontem, o tricampeão não obteve a melhor  das classificações. Um toque no muro da curva 11 definiu-lhe o décimo lugar na grelha de partida.

Com mais de dois minutos para o final da sessão, Hamilton atingiu o muro e não teve mais como continuar. Com a sua melhor volta em 2min01s954, ficou a 19s196 do tempo de Nico Rosberg.

Resignado, o britânico destacou que não teve o mesmo ritmo dos treinos livres e falou em correr em Baku para limitar os danos. Lewis tem nove pontos de atraso para Rosberg na classificação do Mundial de Pilotos.

“Tive um ritmo fantástico na sessão de treinos livres, mas zero hoje (ontem). Às vezes, acontece" começou Hamilton.

“Ainda não posso realmente dizer quais são as possibilidades, mas, obviamente, tenho de tentar chegar o mais possível para frente amanhã. Vai ser uma limitação de danos e vou fazer o que puder”, frisou.

Ainda, o tricampeão classificou a sessão classificativa como “dura”, mas evitou transformar a situação num drama. Hamilton reconheceu que apenas não conseguiu entrar no ritmo do dia.

“Foi apenas uma sessão dura, são uma daquelas sessões que você não precisa”, considerou. Lewis Hamilton ponderou: “Dias assim vem e vão; você tem de encarar o golpe com tranquilidade. No geral, o carro estava bom. Simplesmente, não fui capaz de entrar no ritmo hoje”.

Questionado se a posição de sol tinha sido um factor do seu acidente, Hamilton negou: “Não foi isso. Fui só eu. Não foi a tangência das curvas, o ponto certo de travagem. Nada disso estava no lugar certo hoje”, completou o piloto.


SEGURANÇA

Ecclestone responde a críticas


Bernie Ecclestone respondeu as reclamações feitas pelos pilotos, após os treinos livres da última sexta-feira para o GP da Europa em Baku. Questões reais de segurança foram levantadas, mas a única posição de Ecclestone é que quem não quiser correr pode ir para casa imediatamente.

Os problemas foram extravasados, após os treinos livres. Primeiro por Jenson Button. O britânico foi duro e chamou a pista de "passo atrás" na segurança. Depois, mereceu respaldo de outros pilotos. Publicamente, o que custou o TL2 da F1 foram as zebras soltas. Só que a protecção das curvas, por exemplo, foi outra coisa que não agradou.

Para Ecclestone, é isso aí. E quem não quiser, não corre. "Se não querem correr, não precisam. É com eles mesmos. Este é o circuito. Se não quiserem correr, então, podem voltar para casa", falou Ecclestone no maior estilo: F1 ame ou deixe.

O director-executivo da FOM avaliou que se trata de uma pista que pede certa coragem dos pilotos e que um problema como excesso de velocidade pode ser tratado de forma simples: para de acelerar.

"Este é o circuito. E, como disse, é uma pista que exige coragem. É isso. Um deles, creio ser Nico Rosberg, reclamou da velocidade no pit-lane. Disse-lhes para verem se tem travões no carro. Cabe-lhes decidir a velocidade", seguiu.

NO AZERBAIJÃO
Líder celebra
a classificação


Nico Rosberg tem a  honra de largar na liderança da primeira corrida da história do circuito de Baku. Ontem, o piloto da Mercedes cravou 1min42s758 na sua melhor volta no traçado do Azerbaijão e garantiu a posição de honra na grelha com 0s757 de vantagem sobre Sergio Pérez, o segundo classificado.

Com a punição de Pérez por conta da troca de alavanca de mudanças, Daniel Ricciardo divide a primeira fila da grelha com Nico Rosberg.
Na conferência de imprensa, o alemão da Mercedes disse que “foi óptima a qualificação; uma das sessões mais desafiadoras". Para Rosberg, "tudo terminou bem".

“Durante todo o fim de semana, preparei-me para isso e a classificação foi realmente óptima; senti-me bem”, disse.

Rival na luta pelo título, Hamilton vai largar apenas em décimo na pista azeri. Os dois pilotos da Mercedes estão separados por nove pontos na classificação de Mundial de Pilotos. Apesar da posição ruim do britânico, Rosberg não descartou o companheiro de equipa na luta pela vitória. “Lewis mostrou várias vezes que pode voltar forte ao partir do décimo lugar. Na Rússia, terminou com um fácil segundo lugar”, recordou.

Por fim, o número 6 fez uma previsão animadora para a corrida, especialmente, por considerar que o traçado de Baku é um dos mais fáceis para ultrapassar.

“Tenho a certeza que a corrida vai ser muito empolgante. É uma das pistas mais fáceis para ultrapassar. Vai haver muitas mudanças de posição, além de muitos safety-cars, e relargadas empolgantes. Deve ser um bom show!”, previu.