Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rosberg ultrapassa o pai

24 de Junho, 2014

Marcedes voltou a evidenciar superioridade no Grande Prémio da Austrália ao colocar dois pilotos nas primeiras duas posições para a satisfação dos seus dirigentes

Fotografia: AFP

O alemão Nico Rosberg conseguiu dois importantes feitos no Grande Prémio da Áustria de Fórmula 1, no domingo. Ao conquistar a prova disputada em Spielberg, ele aumentou a  vantagem na liderança do Mundial  e ainda ultrapassou o número de vitórias do seu pai, Keke, na categoria.A vitória deste domingo foi a sexta de Nico Rosberg na Fórmula 1, a terceira na temporada de 2014, dominada pela Mercedes. Campeão do Mundial de 1982, o seu pai, o finlandês Keke Rosberg, venceu cinco provas na carreira. O alemão agora soma o mesmo número de triunfos de John Surtees, Tony Brooks, Gilles Villeneuve, Jacques Laffite, Riccardo Patrese, Ralf Schumacher e Jochen Rin.

"Tenho de agradecer o conjunto por um óptimo carro e uma estratégia perfeita. Escolhemos parar antes e ultrapassar assim a Williams, o que funcionou muito bem. Antes do fim de semana, a minha meta era aumentar a minha vantagem no campeonato, o que consegui. Então posso ficar bem confiante antes da próxima corrida”, disse o alemão.A primeira vitória de Nico Rosberg na categoria foi o GP da China, de 2012. Na temporada passada,  venceu no Mónaco, 30 anos depois de seu pai e na Inglaterra. Este ano, o piloto alemão conquistou a abertura do calendário na Austrália, subiu ao lugar mais alto do pódio novamente em Monte Carlo e celebrou no regresso do GP da Áustria.A vitória em Spielberg, neste domingo, deixa Nico Rosberg na liderança do Mundial de Fórmula 1, com 165 pontos conquistados. A segunda colocação é de Lewis Hamilton, que soma 136. A próxima prova do calendário é o GP da Inglaterra, em Silverstone, em 6 de Julho.

HAMILTON SATISFEITO

O britânico, Lewis Hamilton, conseguiu recuperar-se rapidamente do erro cometido no treino classificativo no GP da Áustria. Obrigado a largar da nona posição depois de rodar no sábado, o piloto da Mercedes compensou a falha e conseguiu uma óptima largada, que ele considerou fundamental para encerrar a corrida na segunda posição.

Hamilton foi o piloto com melhor largada na prova em Spielberg, saiu da nona para a quarta posição na volta inicial. Ele aproveitou o bom ritmo do Mercedes e ao longo da prova ganhou mais dois postos, encerrou  o GP da Áustria em segundo, atrás apenas de Nico Rosberg, seu companheiro de equipa.“Foi uma grande largada, provavelmente a melhor que eu já tive na Fórmula 1”, disse Hamilton, quinto colocado antes mesmo da primeira curva. “Eu queria compensar o dano, então fico feliz que tenha conseguido aquele começo. Ajudou-me bastante”, completou o britânico.

FÓRMULA

Chefe da Bull irritado com a Renault

O Parceria de sucesso durante os últimos quatro anos, Red Bull e Renault estão longe de repetirem o mesmo desempenho nesta temporada. Paciente durante as últimas corridas, Christian Horner, chefe da equipa, parece ter perdido a paciência e não escondeu a sua insatisfação com a fabricante de motores.

"É frustrante que estamos na situação em que estamos. Nós, obviamente, tivemos muito sucesso com a Renault. Nós vencemos todas as corridas e todos os campeonatos que temos com a potência da Renault. Mas a relação simplesmente não está funcionando no momento. A confiabilidade é inaceitável. O desempenho é inaceitável. Precisa haver mudança na Renault. Ela não pode continuar assim. Isso não é bom para a Renault e não é bom para a Red Bull", afirmou.

O descontentamento de Horner ficou maior após Sebastian Vettel ter abandondo o Grande Prémio da Áustria devido a problemas elétricos na unidade de força do motor e o facto Daniel Ricciardo terminar apenas na oitava posição."Precisamos trabalhar juntos como parceiros. Alguma coisa precisa acontecer, porque o que está a ser feito lá no momento não está a funcionar", completou o dirigente.

Respondendo às críticas de Horner, Rob White, director da Renault, admitiu entender a insatisfação da equipa, mas garantiu que a fornecedora está a fazer o possível para apresentar melhorias."A ansiedade sentida por Christian e a frustração após um resultado como esse, onde desempenho e a unidade de força não corresponderam como podem, é compreensível e compartilhada por nós. Mas estamos completamente comprometidos a evoluir o mais rápido que podemos - e acho que temos mostrado sinais de progresso até agora", disse White.

Indignação
Felipe Massa
lamenta problemas


 O quarto lugar no GP da Áustria foi o melhor resultado de Felipe Massa nesta temporada, mas o brasileiro não escondeu a sua decepção por ter perdido a oportunidade de conquistar seu primeiro pódio desde Maio de 2013.  Largando da pole, o piloto viu o companheiro de Williams, Valtteri Bottas, chegar em terceiro, atrás dos dois pilotos da Mercedes. “O problema foi a primeira parada”, afirmou Massa, ouvido pelo TotalRace em Spielberg.  “Não sei o que aconteceu. Eu voltei em uma posição muito difícil, em que o Hamilton estava muito próximo e acabou  por me ultrapassar.

Ali foi onde eu perdi a oportunidade de lutar pelo pódio. Chegar na frente das Mercedes seria difícil, mas o pódio era possível.” Depois de liderar as primeiras voltas, Massa fez a sua parada e voltou entre as Mercedes. Aproveitando que os pneus do brasileiro não tinham atingido a temperatura ideal, Lewis Hamilton e ultrapassou-o. “Isso me surpreendeu um pouco. É lógico que eu estava com o pneu frio, eu não tinha aderência. Foi um momento que me fez perder mais tempo ainda. Eu peguei muito trânsito naquele momento, que era muito importante.”  Para completar, Bottas, que retardou a sua parada e conseguiu andar rápido quando teve pista livre, também voltou da primeira parda à frente de Massa.

Mesmo reconhecendo que as rectas dos circuitos da Áustria e do Canadá, as duas últimas etapas, ressaltavam os pontos fortes do carro da Williams, Massa mantém a expectativa boa para a próxima etapa, em Silverstone, um circuito que tem mais curvas de alta velocidade, nas quais o carro não se mostrou tão forte nas primeiras provas do ano. “A expectativa é continuar crescendo. A pista é boa para o nosso carro, assim como o Canadá também era, mas vou feliz para Silverstone com a expectativa de outra batalha”.