Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Ross Brawn abandona Mercedes

30 de Novembro, 2013

O engenheiro britânico Ross Brawn (à esquerda) foi dono da equipa Brawn GP que se notabilizou na Fórmula 1 e vendeu-a a Mercedes onde cumpriu uma etapa como chefe

Fotografia: AFP

Após diversos rumores gerados pela imprensa internacional sobre a saída de Ross Brawn da Mercedes, a equipa alemã confirmou as expectativas, e anunciou o desligamento do britânico. Insatisfeito com as suas actuais funções de comando, o engenheiro deixa o cargo de chefia da equipa e tem futuro incerto na Fórmula 1. Informações dão conta que pode acertar um contrato com as equipas Ferrari, McLaren ou Williams para as próximas épocas.

Director-técnico da Benetton entre 1991 e 1996, Ross Brawn alcançou o auge da sua carreira ao ocupar a mesma posição na Ferrari, entre 1996 e 2006. Chefe de Michael Schumacher nos sete títulos mundiais conquistados pelo piloto alemão, o engenheiro britânico ainda foi chefe da equipa da Honda, em 2008, e dono da Brawn GP, em 2009. No ano seguinte, vendeu a equipa à Mercedes, onde ocupou posição de chefia desde então.

“O mais importante na minha decisão de deixar o cargo era garantir que era no momento certo para a equipa, a fim de garantir o seu futuro êxito. O planeamento de sucesso que implementamos mostra que estamos prontos para transferir as minhas responsabilidades a Toto Wolf e Paddy Lowe”, afirmou Ross Brawn, e lembrou-se do nome dos seus sucessores.

Depois de mais de cinco décadas afastada da Fórmula 1, a Mercedes regressou à principal categoria do automobilismo mundial em 2010 e, desde então, tem apresentado constante evolução nos seus carros. Nesta época, a equipa alemã encerrou a disputa entre Construtores na segunda posição, atrás da actual tetra-campeã, a Red Bull. Nos últimos anos, ficou em quinto (2012) e quarto (2010 e 2011).

Ross Brawn tem futuro incerto na Fórmula 1. O britânico foi chamado a fazer parte do projecto de reformulação da Williams, no qual o piloto brasileiro Felipe Massa está incluso, e é uma das peças centrais. Além disso, podia acertar o regresso à Ferrari já na próxima época, ou a ida a McLaren, em 2015, quando a equipa britânica tiver motores fornecidos pela Honda.


INSTALAÇÃO
Circuito de Bahrein tem iluminação

Para comemorar o décimo ano de realização da prova de Fórmula 1 no Bahrein, os organizadores da etapa instalaram um sistema de iluminação na pista. Em Setembro deste ano, foi solicitado ao responsável máximo da categoria, Bernie Ecclestone, a mudança de horário da corrida.

 O investimento no sistema de luz indica uma possível confirmação do pedido. Além de celebrar a determinada fase da F1, que foi a primeira realizada no Oriente Médio, foi uma forma de oferecer aos corredores melhores condições, com temperaturas mais amenas.

A outra opção podia ser a alteração de horário para o anoitecer, da mesma forma que teve lugar o Grande Prémio de Abu Dhabi. Os três circuitos destacados no continente passam a ter a luz artificial.

A etapa de Bahrein do ano de 2014 tem as datas provisórias escolhidas, só aguarda a confirmação da próxima reunião do Conselho Mundial de Desportos a Motor. A terceira prova da Fórmula 1 pode realizar-se entre os dias 4 e 6 de Abril.

MARK WEBBER
CONFIRMA CORRIDA
Após encerrar a carreira na Fórmula 1, Mark Webber confirmou a participação nas 12 horas de Bathurst, a maior corrida de longa duração realizada na Austrália, no ano de 2015. Com a aposentação numa das principais categorias do automobilismo, o piloto agora tem a possibilidade de competir em provas extensas.

O ex-profissional da Red Bull vai correr junto com o actor Eric Bana e o campeão olímpico de remo James Tomkins. Mark Webber vai competir apenas daqui a um ano, porque em 2014 já está confirmado noutra corrida de longa duração. A revelação ocorreu após uma resposta do piloto a um seguidor no seu site.

No próximo ano, o ex-corredor da Fórmula 1 vai disputar o Campeonato Mundial Endurance com as cores da equipa Porsche.