Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rossi busca ritmo com pneus usados

16 de Fevereiro, 2017

Rossi disse estar feliz, especialmente, por superar num início de dia um pouco mais difícil.

Fotografia: AFP

Valentino Rossi registou o segundo melhor tempo, no primeiro dia da segunda série de testes de pré-época 2017 da MotoGP. Ontem, o número 46 cravou 1min29s683 na melhor das suas 77 voltas em Phillip Island, e ficou a 0s186 de Marc Márquez, do líder dos trabalhos.

Após a sessão, Rossi disse estar feliz, especialmente, por superar num início de dia um pouco mais difícil. Mesmo assim, o italiano sublinhou ter muito trabalho a fazer.

“Estou feliz, porque começamos a manhã mal, e sofremos um pouco demais; não tinha um bom feeling com a moto e toda vez que tentasse forçar, não me sentia bem. No intervalo, verificamos os dados, e a equipa trabalhou bem”, disse Rossi.

O italiano disse ter melhorado a moto e foi "mais competitivo". No fim, com pneu novo, fez uma boa volta. "1min29s26 para o primeiro dia não é tão mal", avaliou.

“Temos muito trabalho a fazer, especialmente com os pneus usados. Então, torcemos por boas condições nos próximos dias, para continuar a trabalhar. E, também, porque precisamos de conhecer a moto melhor”, falou.

Apesar de ter sido Maverick Viñales a liderar os exercícios colectivos de Valência e Malásia, Rossi colocou Márquez como referência, destacou que precisa de trabalhar no seu ritmo de corrida.

“Viñales foi muito forte em Valência e em Sepang, mas se observar os tempos em profundidade, Márquez foi o mais rápido. Foi o mais rápido em Valência, o mais rápido na Malásia, e o mais rápido hoje.

Então, é o homem a ser batido, especialmente no ritmo. É sempre muito constante e trabalha muito para a corrida com os pneus usados. É a referência”, apontou.

Rossi destacou que “Márquez e Honda são superiores no ritmo com pneus usados; é sempre capaz de fazer um ritmo muito bom, um tempo de volta muito bom". No entanto, defendeu que "a equipa da Yamaha tem de trabalhar a partir deste ponto de vista".

Questionado se a dupla da Honda estava a zombar quando fez as criticas à RC213V nos testes anteriores, Rossi respondeu: “Com certeza, sempre falam um pouco menos, ou coisas mais negativas, porque quer  surpreender no Qatar. Sinceramente, já sei que é o mais rápido”, disse.

Depois de passar o dia a trabalhar com os novos chassis e carenagem da Yamaha, Valentino continuou a linha de Sepang,  e evitou dar detalhes. 

“Amanhã (hoje), essas são as prioridades, especialmente, o quadro. Gosto muito do novo quadro, mas ainda não decidi 100 por cento. Amanhã, vamos tentar mais uma vez”, concluiu.