Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rossi pronto para a vitória

17 de Março, 2016

Rossi diz que ainda tem muito para aprender sobre os pneus e electrónica

Fotografia: DR

Finalmente, chegou a  nova época desportiva da MotoGP. O circuito de Losail recebe neste fim de semana o Grande Prémio de Qatar. As emoções da pista misturam-se num cocktail em que o ambiente dos boxes é o principal ingrediente. No seio da Yamaha, Valentino Rossi celebra o regresso aos circuitos, depois de colectar resultados positivos nos testes colectivos.

"Finalmente, começamos a falar sobre corrida. Estou muito feliz por esta nova época começar. Os nossos testes foram definitivamente positivos, mas a corrida é outra coisa”, celebrou Rossi.

A ansiedade do italiano pelo início da época'2016 da MotoGP está ligada intrinsecamente às modificações feitas ao regulamento e destacou que tem muito para aprender sobre os pneus Michelin e a electrónica padronizada.

"Durante os testes, aprendemos bastante sobre os novos pneus e a electrónica, mas ainda temos muitas outras coisas para descobrir e a primeira corrida vai ser muito importante para entendermos o real potencial das motos e dos pilotos”, ponderou.

Na época passada, Rossi começou o Campeonato Mundial com um triunfo em Losail. Em 2016, o italiano não sabe se vai conseguir repetir o resultado, mas colocou o pódio como único objectivo.

"A época passada começou muito bem para mim. Não sei se poderei repetir aquele resultado, mas, com certeza, vou tentar subir ao pódio”, avisou.
O motociclista mais titulado do mundo assegurou que "vai ser importante começar a trabalhar bem desde as primeiras sessões", aprontarem-se e "ter as ideias claras a caminho da corrida". "Sinto-me pronto e motivado, assim como a equipa", reiterou.

ITALIANO ELOGIA
ACÇÃO DE SENNA


Valentino Rossi ainda não esqueceu a polémica da época 2015. Às vésperas do início do Mundial 2016, o italiano concedeu algumas entrevistas à imprensa italiana e, além de deixar claro que não pretende fazer as pazes com Marc Márquez, também avaliou que foi traído pelo espanhol.

O multicampeão da Yamaha acusa o rival da Honda de ter actuado para beneficiar Jorge Lorenzo na disputa pelo título da MotoGP. O número 99 conquistou a Taça de 2015 na final de Valência por cinco pontos de vantagem sobre o companheiro de equipa.

Ao jornal italiano ‘La Gazzetta dello Sport’, Rossi contou que não era fã de Ayrton Senna (o italiano torcia para Nigel Mansell), mas elogiou a atitude do brasileiro com Alain Prost no Grande Prémio do Japão de 1990.

Num dos momentos mais polémicos da história da F1, Ayrton Senna bateu propositadamente no rival da Ferrari na curva um do circuito de Suzuka e acabou com as oportunidades de título do francês. A acção de Ayrton Senna foi um troco após uma manobra semelhante feita por Alain no ano anterior, também em Suzuka.
“Quando Senna corria, não torcia para ele e não gostava muito dele. Torcia pelo Mansell e, quando chegou à Ferrari, torcia pelo Prost”, contou.
O italiano tinha preferência por alguém que não o inspirava, mas as "opções" deste para cobrar as dívidas na pista o agradaram.

“Aquela vez em Suzuka, em 1990, gostei muitíssimo do que o Senna fez. Tinha sido roubado e, no ano seguinte, fez aquilo que tinha de fazer. Teve coragem”, considerou.