Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rssia e Frana disputam final

20 de Agosto, 2016

Nunca as duas selecções se tinham encontrado numa final olímpica. Aliás, a selecção feminina da França está a viver a sua primeira final do género, enquanto a Rússia, desde a desintegração da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, joga a sua segunda final olímpica, depois da final de 2008.

A selecção da Rússia que fez uma campanha irrepreensível, sem qualquer derrota, eliminou, na meia-final, a bi-campeã, Noruega, por 38-37, num grande jogo, considerado o melhor até agora.

As russas acabaram o reinado das norueguesas depois de prolongamento, já que ao tempo regulamentar o placard mostrou 31 golos para cada equipa.
A França conhece o gosto ruim da derrota, graças à Rússia. Na fase preliminar, grupo B, as francesas perderam para as rivais de hoje por 25-26. Por este facto, mais as derrotas 31-32, nos quartos de final dos Jogos Olímpicos de 2008 e, 31-25, na definição do 5- lugar do mundial de 2015; para as francesas,   comandadas de Olivier Krumbholz, o jogo de hoje pode ter sabor à vingança.

Vai ser uma final ao rubro, em que as francesas podem pagar caro pela rivalidade com os adeptos, comprada com a eliminação do Brasil nos quartos-de- final.

Antes, a Noruega e a Holanda jogam pela definição do terceiro lugar.

Vale lembrar que o Brasil ficou na quinta posição, seguido pela Espanha e Suécia. Angola ficou no inédito oitavo lugar. A Roménia, Coreia do Sul, Montenegro e  Argentina, por esta ordem, ocuparam as últimas posições.