Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rússia suspende atletas

20 de Setembro, 2013

Os casos de doping no atletismo têm estado na ordem do dia em diversos países com atletas a darem positivo nos controlos

Fotografia: AFP

A Federação Russa de Atletismo aplicou na quarta-feira uma suspensão de dois anos à saltadora Tatiana Kotova e ao lançador do peso Kirill Ikonnikov, depois dos atletas terem acusado doping pela segunda vez.

Kotova, de 36 anos, venceu as medalhas de bronze nos Jogos Olímpicos de Sidney 2000 e Atenas 2004, foi inicialmente suspensa em Fevereiro, depois das amostras antidoping dos Mundiais de Helsínquia 2005 terem detectado a presença de uma substância interdita.

Ikonnikov, que ganhou três títulos nacionais, foi igualmente suspenso de toda a competição depois da amostra A, realizada em Outubro de 2012, também ter acusado a presença de substâncias proibidas.

Por seu turno, o Comité Executivo da Agência Mundial Antidopagem (AMA) aprovou o documento técnico necessário para incluir no passaporte biológico dos atletas um parâmetro referente aos esteróides.

“Como sucede no módulo hematológico já em execução, o princípio fundamental do módulo relativo aos esteróides baseia-se no controlo a longo prazo de alguns parâmetros seleccionados, que revelam indirectamente a possibilidade de dopagem”, refere a AMA, em comunicado.

De acordo com o documento, esta nova parte do passaporte biológico entra em vigor em Janeiro de 2014. “Este é, verdadeiramente, um passo prometedor na luta contra o doping. Desejamos uma aplicação em grande escala pelas organizações antidoping nos próximos meses”, disse o presidente da AMA, o australiano John Fahey.

Um terceiro módulo, sobre o sistema endócrino, que visa detectar o uso de hormona de crescimento, está em estudo. O Comité Executivo da AMA aprovou ainda a lista de substâncias proibidas para 2014, que é anunciada a 1 de Outubro, e decidiu incluir na lista de produtos a analisar uma série de estimulantes e narcóticos, que actualmente não estão proibidos, para detectar padrões de uso irregular no desporto. Nesta lista de produtos estão incluídas a cafeína e a nicotina, entre outros.