Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Rssia suspende campe olmpica

01 de Fevereiro, 2015

As fundistas podem ficar privadas das medalhas de ouro conquistadas nos Jogos Olmpicos de Londres em 2012

Fotografia: AFP

A Agência Antidoping Russa (RUSADA) suspendeu por doping as atletas Yulia Zaripova, campeã olímpica dos 3.000 metros obstáculos em Londres'2012, e Tatiana Chernova, medalhada olímpica na prova do heptatlo em Pequim'2008 e Londres'2012.

Yulia Zaripova, campeã do Mundo em 2011 e da Europa em 2010, foi punida com dois anos de suspensão, com efeitos retroactivos a 25 de Julho de 2013.

A fundista pode ficar ainda privada da medalha de ouro conquistada nos Jogos Olímpicos de Londres'2012, uma vez que a RUSADA solicitou a anulação de todos os resultados alcançados pela atleta entre Julho e Setembro de 2012.

Segundo refere a RUSADA no seu sítio, a suspensão deve-se a irregularidades hematológicas no passaporte biológico de Yulia Zaripova, que é o método utilizado para supervisionar, a longo prazo, os níveis de sangue e urina dos atletas.

No caso de Tatiana Chernova, a atleta viu confirmada, após ter solicitado uma contra-análise, realizada num laboratório em Colónia, na Alemanha, o uso de uma substância proibida, conhecida por Oral Turinabol, durante os Mundiais de Berlim, em 2009.

Por esse motivo, Tatiana Chernova, campeã do mundo em 2011, foi punida com dois anos de suspensão, a cumprir desde Julho de 2013, para além da anulação de todos os seus resultados desportivos obtidos entre Agosto de 2009 e Agosto de 2011.

Estes dois casos engrossam uma já longa lista de escândalos de doping entre os atletas russos de topo, depois da RUSADA ter anunciada a suspensão dos campeões olímpicos da marcha Olga Kanishkina, Sergey Kirdiapkin e Valeri Borchin.

A estes casos juntam-se ainda os de Sergey Bakulin, campeão do mundo dos 50 quilómetros marcha em 2011, suspenso por três anos, e de Vladimir Kanaikin, medalha de bronze nos Mundiais de Daegu (Coreia do Sul), em 2011, erradicado do atletismo.

QUENIANA RITA JEPTOO
SUSPENSA POR DOIS ANOS

A atleta queniana Rita Jeptoo, campeã nas maratonas de Chicago e Boston, foi suspensa por dois anos devido a doping, especificamente eritropoietina (EPO), anunciou a Federação Queniana de Atletismo.

Jeptoo, de 33 anos, teve um controlo positivo no último ano e vai estar suspensa até 29 de Outubro de 2016. No início de Janeiro, o presidente da Federação Queniana de Atletismo, Isaiah Kiplagat, já tinha desafiado a maratonista a denunciar junto da Comissão de Disciplina do organismo a rede de doping que a forneceu.

Rita Jeptoo, vencedora das maratonas de Boston e Chicago, em 2013 e 2014, acusou EPO, em Setembro, num teste fora de competição.

Em Dezembro, a análise à amostra B, feita pela Agência Mundial Antidoping, confirmou a hormona. "Jeptoo é a atleta queniana mais reconhecida a acusar positivo. Isso deve causar um "choque eléctrico'", reconheceu Kiplagat.

Além das vitórias em quatro maratonas nos Estados Unidos, em 2013 e 2014, Jeptoo, de 33 anos, conta com o triunfo na meia maratona de Lisboa de 2008, assim como as vitórias nas maratonas de Estocolmo e Milão, em 2004, e Boston, em 2006.