Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Russos retardam entrega de medalhas

15 de Fevereiro, 2017

o COI determinou que todos os que violaram as regras de doping devem fazê-lo.

Fotografia: AFP

Só um dos atletas russos, que perderam as suas medalhas olímpicas por doping, entregou a medalha ao Comité Olímpico Internacional (COI), disse na segunda-feira a coordenadora anti - dopagem da federação de atletismo russa.

Yelena Ikonnikova revelou à agência noticiosa francesa AFP, que apenas Anton Kokorin que conquistou o bronze em Pequim2008 na estafeta de 400 metros entregou a medalha,  o COI determinou que todos os que violaram as regras de doping devem fazê-lo.

Ikonnikova confirmou, que a federação russa recebeu uma lista com os nomes e notificou todos os praticantes, e as federações regionais afectadas.

O presidente do Comité Olímpico da Rússia (ROC), Alexander Zhukov, disse na semana passada à agência noticiosa russa TASS que o organismo estava a “continuar o trabalho” de devolver as medalhas, embora, “poucos atletas tenham concordado em fazê-lo”.

Segundo Aleksandra Brilliantova, representante do departamento legal do ROC, o organismo não tem “qualquer procedimento legal” para forçar a entrega, o que constitui “um problema sério”.

Um total reportado de 13 atletas russos que conquistaram medalhas em Pequim2008, e oito em Londres2012 acusaram o recurso à substâncias proibidas, e devem entregar o prémio ao COI, alguns estão retirados e relutantes em devolver as medalhas.

SUSPENSÃO
O Comité Paralímpico Internacional (IPC) aconselhou na segunda-feira, que a Rússia deve continuar  a suspensa ão das competições internacionais, por considerar que o país ainda não fez progressos suficientes na luta contra o doping.

A Rússia foi suspensa das competições internacionais, depois do relatório McLaren da Agência Mundial Anti-dopagem ter revelado um sistema de dopagem alargado, com apoio estatal.

Um grupo de trabalho do IPC esteve na Rússia, onde se reuniu com responsáveis locais, reportou melhorias e avanços, mas ainda não são suficientes para que o país que falhou os Jogos Paralímpicos Rio2016 deixe de estar suspenso.Para o mesmo grupo de trabalho, tem de existir uma “clara mudança de cultura” para que a Rússia possa voltar a competir a nível internacional.