Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sá Silva alinha na Zele Racing

03 de Outubro, 2014

Piloto angolano tem recebido inúmeros convites para testar e participar em corridas de outras disciplinas em função do elevado nível competitivo dos últimos anos

Fotografia: Jornal dos Desportos

Após a penúltima prova da GP3, que vai ser disputada no circuito de Sochi, na Rússia, o angolano Sá Silva vai aproveitar a pausa no campeonato para alinhar com a equipa austríaca, Zele Racing, na última corrida da AutoGP World Series, que vai ser disputada no Circuito do Estoril, entre 18 e 19 de Outubro.

Com os bons resultados obtidos pelo angolano esta época e com a clara evolução demonstrada, o piloto está a receber inúmeros convites para testar e participar em corridas de outras disciplinas, como explica o treinador Nuno Pinto:

"Foi assim que o Luís se estreou nos GT's e agora surgiu uma oportunidade interessante de testar e fazer a corrida da categoria AutoGP".

Nuno Pinto esclareceu que "como neste final da GP3 existem intervalos grandes entre as últimas provas, que acabavam por obrigar o piloto a estar muito tempo sem competir, a equipa aceitou este convite da Zele Racing". Para o técnico "vai ser uma óptima oportunidade".

O especialista português assegurou que "a fórmula da AutoGP é bastante potente e tem uma boa aerodinâmica". Para além de ser "um excelente treino é também um desafio interessante para o piloto, para ver como se adapta a uma nova competição num circuito que conhece bem".

O chefe da Zele Racing, Michael Zele, reforça a confiança no piloto angolano, que conheceu em 2008, quando foi o seu engenheiro na primeira vez que  Luís testou um fórmula na Europa, na equipa Motorpark Academy, curiosamente no Autódromo do Estoril.

"Queremos atacar e alcançar o pódio. O Luís é um piloto muito talentoso e é bom tê-lo a bordo para este evento", declarou o patrão da Zele. Luis Sá Silva reagiu ao pedido da Zele Racing: "Fico contente por ter a oportunidade de competir e não perder ritmo nesta fase final do campeonato".  O piloto angolano explicou que "o Formula da AutoGP é um chassis um pouco mais antiquado e da geração anterior à GP3, mas o motor é V8 com mais de 550cv de potência e como tal tem performances muito elevadas e vai ser interessante conduzi-lo".

O jovem piloto adiantou que vai participar naquela que é a última prova deste campeonato contra os outros pilotos que fizeram toda a época e "isso é uma clara desvantagem". "Vou tentar compensar com o meu conhecimento do circuito do Estoril para conseguir uma boa performance", frisou.