Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Sandro Dias conquista trofu do GP Z D

Gaudncio Hamelay , no Lubango - 31 de Agosto, 2016

O vencedor do GP "Z D" em viaturas, Sandro Dias "Riquito".tou a satisfao por conquistar mais uma taa

Fotografia: Arimateia Baptista

O piloto da equipa Corre Auto da província da Huíla, Sandro Dias  “Riquito”, ao totalizar 18 voltas, conquistou no domingo, no Lubango, a 5ª edição do Grande Prémio “Zé Dú”, enquadrado no 74º aniversário do Presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, e foi pontuável para o Campeonato Angolano de Velocidade Sport & GT e Turismos.

Nas posições imediatas ficaram, Leu Serrão e Mário Ferreira, ambos do Welwitchia Racing team do Namíbe, numa competição em que participaram pilotos das províncias de Luanda, Huambo, Huíla, Namíbe, Cuanza Sul e Benguela.O vencedor do GP “Zé Dú” em viaturas, Sandro Dias “Riquito”, no final da prova manifestou a satisfação por conquistar mais uma taça, num dia especial que é a data natalícia do presidente da República de Angola, José Eduardo dos Santos, assinalada no dia 28.

Explicou, que durante a prova tive dificuldades de manter a concentração, porque teve de estar sempre no mesmo andamento, para não perder a reflexão.“É sempre difícil andar numa prova em alta velocidade, para manter a regularidade e a concentração. Já andei neste circuito à 1 minuto e 7 segundos. Mas o circuito não está nas mesmas condições, das vezes passadas, por estar mais sinuoso e escorregadio. Portanto, era preciso ter mais cautelas. Mas está dentro do limite”, disse.

Apesar da vitória, Sandro Dias “Riquito”, lamentou os fracos apoios que o desporto no geral e em particular o desporto motorizado tem tido por parte das entidades de direito. Porém, espera que as coisas melhorem num futuro breve.“Vamos esperar que os apoios aconteçam, e as coisas melhorem em termos de desporto motorizado, a nível nacional, não só no automobilismo, mas também em outras modalidades”, apelou.

Na prova de turismo da classe “A”, o triunfo sorriu ao piloto, Rui Ferreira, da R.F Racing, seguido por Luís Fernandes, da Pumangol Racing Team, enquanto Ramiro Barreira, da Ramiro Racing Tean,  contentou-se com o terceiro lugar. Na classe “B”, o troféu coube a Carlos Ferreira, e nos lugares seguintes, ficaram Ruben Oliveira e Helgaardt Deysel, do Ar Racing Team.O piloto Carlos Dias, da Welwitchia racing Team, ganhou na prova de turismos da classe “D”, secundado pelo seu colega de equipa, Edwin Santos.

  Desporto Motorizado  
Adilson Pinto domina  prova dos EVO600 cc



A grande atracção da competição das motos EVO600 cc, recaiu para o jovem piloto de  18 anos, Adilson Pinto, do Team Damião e Filhos da Huíla, que conquistou com mérito o troféu da categoria, ao somar 45 pontos no cômputo das duas mangas, de 17 voltas  cada.Adilson Pinto é uma promessa que desponta no desporto motorizado huilano, deixou para trás os conceituados pilotos Marcos Fonseca (segundo) e Hélder Coelho “Vuty” (terceiro).
Visivelmente emocionado, Adilson Pinto, disse que ganhar em “casa”, como estreante nas provas dos 200 km da Huíla, é motivo de ficar contente e admitiu que as primeiras voltas foram difíceis.

“Agradeço muito o team Cuanza Sul, por ter me dado a moto, ao Vuty, ao meu pai e a todos que me apoiam. Foi difícil nas três primeiras voltas, mas depois consegui controlar a situação. E, graças a Deus, correu tudo bem”, disse.Revelou, que correr ao lado de pilotos muito mais experientes, sentiu algum calafrio. “ Senti dois calafrios, até por acaso desviei na pista,  mas consegui aguentar. Daqui em diante o meu futuro será como Deus quiser”, sustentou.

Marco Fonseca ocupou a segunda posição, justificou que na primeira manga arrancou mal, mas depois recuperou na segunda manga.Para a categoria de motos AGP600, a primazia coube ao concorrente Alexandre Almeida, da equipa Armando Racing, secundado por Hugo Caldeira, da formação Rufino e Filhos Lda., Lourenço Morais, da Welwitchia Racing Team, quedou-se em terceiro lugar.Bruno Fançony, do Team 100 Limite, triunfou na corrida de motos DT ao totalizar as 10 voltas em 16:13.027. Manuel Rocha, da equipa 100% Lambertin, ficou em segundo lugar ao perfazer as 10 voltas em 16:36.208 e o terceiro lugar veio Carlos Diniz, do Team 100 Limite, com o tempo de 16:49.538.
   
Organização
Prova sem casos 


O vice-presidente para o Motociclismo e Karting da Federação Angolana dos Desportos Motorizados, Augusto Diogo, avalizou como positivo o balanço das provas dos 200 km da Huila, pelo facto da organização conseguir uma grelha aceitável e sem incidentes.Para ele, a presença na Huíla de um número considerável de viaturas e motos, para celebrar a data do aniversário do Presidente da República, foi muito bom, dada a situação em que o país vive, financeiramente.

“Não é fácil neste momento. Tivemos poucos apoios este ano, mas graças a Coca-Cola como o grande patrocinador, e outras empresas que se juntaram a nós para que de facto, esse GP Zé Dú na 5ª edição, fosse um sucesso. E, felizmente, realizamos o evento com êxito.  Por isso, estamos todos de parabéns, os que estiveram evolvidos na organização da prova”, disse.Informou não se ter registado nenhum incidente que manchasse a prova, salvo pequenas quedas, próprias do desporto motorizado, que considerou ser  “normal”. “Não tivemos nenhum ferido, quer por parte dos pilotos.