Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Modalidades

Schumacher continua em coma

02 de Março, 2014

Saúde do heptacampeão do mundo continua a merecer cuidados especiais segundo informações avançadas pela direcção do hospital

Fotografia: AFP

Michael Schumacher completou na última sexta-feira dois meses em coma após o acidente de esqui sofrido nos Alpes franceses, um período em que as pessoas próximas controlaram as informações sobre O seu estado de saúde.

Schumacher continua no Hospital Universitário de Grenoble, para o qual foi transportado de helicóptero no dia 29 de Dezembro, após sofrer o acidente na estação de Méribel, quando descia por uma área a quatro metros de distância de uma pista marcada.

A assessora do heptacampeão do mundo e porta-voz da família neste momento difícil, Sabine Kehm, disse esta semana à revista alemã "Focus" que a equipa médica tinha interrompido o processo para fazê-lo sair do coma.

O bombardeio de notícias diminuiu ao longo dessas oito semanas, e pelo menos a esposa do ex-piloto, Corinna, seus filhos Gina Maria e Mick, de 16 e 14 anos, o irmão Ralf, que também foi piloto da Fórmula 1, e os outros familiares não sofrem o mesmo assédio mediático dos primeiros dias.

A família divulgou periodicamente agradecimentos às mensagens de apoio vindas de todo o mundo, mas ao mesmo tempo pediu respeito e privacidade.

Schumacher completou 45 anos no dia 3 de Janeiro, e a zona do hospital foi transformada num mar de equipas móveis de televisão, dispostas a captar as mensagens de apoio levadas pessoalmente por cerca de 200 fãs.

O Hospital Universitário de Grenoble conseguiu controlar a situação e manter a distância do grande desdobramento mediático, que nos primeiros dias alterou o funcionamento normal do centro médico e afectou os outros pacientes e as suas famílias.Não houve notícias sobre novas intervenções médicas após as realizadas nos dias posteriores ao acidente para tratar das lesões cranianas sofridas ao cair e bater com a cabeça violentamente contra uma rocha.

A justiça francesa, por sua vez, arquivou há algumas semanas a investigação sobre o acidente por não detectar infracções por parte do acidentado, nem da estação de esqui, já que a sinalização das pistas era correcta.


Red Bull
Ricciardo celebra melhoria do carro


A equipa Red Bull de Fórmula 1 parece que aos poucos vai solucionando os problemas de seu carro para o Mundial de 2014 da categoria.

Na sexta-feira, o australiano Daniel Ricciardo foi à pista para mais um dia de testes de pré-temporada no Bahrein e ficou muito feliz com a melhora do veículo.

Ricciardo encerrou o dia na terceira posição com a melhor marca de 1m35s743 em 66 voltas realizadas. A liderança do dia foi novamente de Sergio Pérez, da Force India, com 1m35s570, seguido por Fernando Alonso, com o tempo de 1m35s634.

"Tivemos uma grande melhoria  em relação a ontem e temos uma visão muito mais optimista agora. Ainda temos muito a aprender e entender, mas estamos fazendo progresso e os últimos dois dias foram um grande passo na direcção correcta", afirmou Ricciardo.

Campeã dos últimos quatro Mundiais de Construtores, a Red Bull vem sofrendo com o seu carro de 2014, ano em que a Fórmula 1 passa por grandes mudanças no seu regulamento técnico. Na primeira semana de testes de pré-temporada em Jerez de la Frontera, por exemplo, a equipa só conseguiu dar 21 voltas em quatro dias de actividade.

"Daniel conseguiu fazer uma saída mais longa de 20 voltas cronometradas, a nossa maior até agora.

O carro ainda é difícil de dirigir para ele, mas acertaremos isso. Temos mais partes para instalar e espero que consigamos mais boas saídas com Sebastian nos próximos dias", explicou o coordenador de engenharia de corridas da equipa, Andy Damerum.


 Nova época
Lewis Hamilton
mostra cautela


Bastou um mau dia para Hamilton voltar os pés para o chão. Após ter a sua Mercedes o melhor carro da temporada, Hamilton fez somente o sétimo melhor tempo, após 89 voltas e  foi levado para a garagem com problemas na caixa de velocidades.

"Eu penso que  temos um pacote forte, mas não sinto que é garantido que sejamos os favoritos para os lugares cimeiros", comentou Lewis à revista “Autosport”.

Antes do começo dos testes no Bahrein, Hamilton foi o quinto piloto mais rápido nos testes, com 251 voltas (110 atrás do seu companheiro, Nico Rosberg).

Em tempos, a Mercedes conseguiu duas voltas mais rápidas em oito dias de testes, atrás apenas da McLaren, com três. Mas nada que anime muito o campeão de 2008 da categoria.

"Temos uma oportunidade de lutar, mas não sabemos onde estamos. Até agora não encontrei equilíbrio.
 
Neste ano nós perdemos muita “downforce” e o carro parece um pouco pior.

Mas, na perspectiva com as outras equipas, é bom", concluiu Hamilton